conecte-se conosco

Política Nacional

Senadora Juíza Selma diz que avalia sair do PSL por “divergências políticas”

Publicado

source
Senadora Juíza Selma arrow-options
Jane de Araújo/Agência Senado – 10.9.19

Senadora Juíza Selma diz que avalia sair do PSL por “divergências políticas”

A senadora Juíza Selma (PSL-MT) divulgou uma nota nesta terça-feira (10) onde afirma que avalia sair de seu partido por conta de pressões pela derrubada da CPI da Lava Toga .

Leia também: Carlos Bolsonaro chama jornalistas de ‘canalhas’ ao justificar declarações

“A senadora Juíza Selma esclarece que devido a divergências políticas internas, entre elas a pressão partidária pela derrubada da CPI da Lava Toga, está avaliando a
possibilidade de não permanecer no PSL ”, diz a nota

A parlamentar afirmou que recebeu convites de outros partidos, mas que não vai mudar sua posição de apoio ao governo. Ainda na nota, a senadora disse que não vai tirar sua assinatura de apoio a abertura da CPI.

Leia também: Mourão exalta democracia e Alcolumbre ‘despreza’ declarações de Carlos Bolsonaro

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), deixou o tema na gaveta durante o primeiro semestre. Recentemente, um grupo de senadores começou a se movimentar para
ressuscitar a CPI , coletando assinaturas.

Leia mais:  “Bolsonaro não é burro, mas um idiota ingrato que nada sabe”, ataca Frota

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Já em Brasília, Bolsonaro diz que reassume Presidência na terça

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Alan Santos/PR – 7.9.19

Já em Brasília, Bolsonaro diz que reassume Presidência nesta terça

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) retornou nesta segunda-feira (16) a Brasília, após passar nove dias em São Paulo para realizar uma cirurgia, e afirmou que reassumirá a Presidência na terça-feira. A Secretaria de Comunicação do Palácio do Planalto havia informado que Bolsonaro reassumiria somente na quarta-feira, e que o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) continuaria como interino até lá.

Leia também: Frota pede desculpas a Ciro Gomes e diz que ele “tinha razão sobre Bolsonaro”

Ao chegar no Palácio da Alvorada, Bolsonaro desceu do carro com a ajuda de um segurança e disse que só estará “100%” depois da sua viagem aos Estados Unidos, na próxima semana, para participar da Assembleia-Geral da ONU. Ele afirmou ainda que irá sancionar na terça um projeto que estende a posse de arma para toda a propriedade rural.

“Tudo bem, graças a Deus. Tudo bem. Volto à atividade 100% depois dos Estados Unidos. Vou para a ONU”, disse Bolsonaro. “Amanhã eu reassumo. Amanhã eu reassumo a Presidência e sanciono a lei do porte estendido para o pessoal do campo”, acrescentou.

Leia mais:  Em depoimento, candidata “laranja” reafirma denúncia contra ministro do Turismo

Leia também: Indicado à PGR por Bolsonaro, Aras promete portas abertas à oposição

Apesar de Bolsonaro ter utilizado a palavra “porte”, que se refere ao direito de andar com uma arma, o projeto em questão trata da posse, o direito de ter uma arma em casa. A proposta amplia o conceito de residência na área rural , permitindo, por exemplo, a um fazendeiro ou produtor rural andar com uma arma em toda a sua fazenda, e não apenas na sua casa.

Leia também: “Prega um imbecil coletivo bolsonarista”, diz Janaina sobre Olavo de Carvalho

O prazo para sanção termina nesta terça. Bolsonaro não adiantou se irá sancionar integralmente a proposta, por ainda não ter lido, mas disse que não irá tolher “ninguém de bem” a ter uma arma.

“Não vi o projeto. Vou ver amanhã. Não vou tolher mais ninguém de bem a ter seu posse ou porte de arma de fogo”, afirmou Bolsonaro .

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Por ordem de Bolsonaro, PSL abandona base do governo Witzel

Publicado

source
Wilson Witzel e Jair Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR

Wilson Witzel, governador do Rio, em encontro com o presidente Jair Bolsonaro

Por ordem de Jair Bolsonaro , o PSL, partido com mais deputados na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), decidiu deixar a base do governador Wilson Witzel (PSC). A decisão foi
comunicada oficialmente nesta segunda-feira (16), por meio de nota. A ruptura ocorreu após Bolsonaro condenar entrevistas de Witzel à revista Época e à GloboNews nas quais o
governador fez críticas à gestão do presidente e manifestou intenção de se lançar candidato à Presidência. Por meio do Twitter, o presidente negou a informação: “Não determinei
nada. Fakenews!”

Leia também: Já em Brasília, Bolsonaro diz que reassume Presidência na terça

Todos os 12 deputados estaduais do PSL terão que entregar os cargos que mantêm no governo, inclusive a deputada federal Major Fabiana, nomeada no mês passado por Witzel para a Secretaria de Vitimização, pasta que dá assistência a policiais e vítimas de bala perdida. Vice-líder do governo Witzel na Alerj, Alexandre Knoploch (PSL) também deixará a
função.

Leia mais:  “Bolsonaro não é burro, mas um idiota ingrato que nada sabe”, ataca Frota

Leia também: Frota pede desculpas a Ciro Gomes e diz que ele “tinha razão sobre Bolsonaro”

Deputados do partido aguardam orientação de Flávio Bolsonaro , presidente do PSL-RJ, para saber qual será o nível de oposição ao governo Witzel – o senador está em viagem à
China. Uma preocupação é a mudança brusca de discurso, já que dez parlamentares do PSL são próximos de Witzel. Indagado sobre a possibilidade de reaproximação, Dr. Serginho,
líder do PSL na Alerj, respondeu:

“Nenhum dos deputados presentes na reunião manifestou qualquer discordância quanto a sair da base do governo Witzel. Todos aceitaram a orientação que foi enviada”, disse.

Leia também: Indicado à PGR por Bolsonaro, Aras promete portas abertas à oposição

Leia abaixo a íntegra da nota divulgada por Dr. Serginho. Apesar de a ordem ter partido de Jair Bolsonaro, a decisão é atribuída ao filho Flávio.

“A bancada do PSL na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), por orientação do senador Flávio Bolsonaro, presidente estadual do PSL-RJ, não está na base do
governo na Alerj a partir desta segunda-feira (16/09), por discordar de posicionamentos políticos do governador. Os 12 deputados do partido reiteram o compromisso com o Estado
do Rio de Janeiro.”

Leia mais:  Em depoimento, candidata “laranja” reafirma denúncia contra ministro do Turismo

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana