conecte-se conosco

Policial

Polícia Civil faz buscas a ossadas de mulheres desaparecidas em 2013

Publicado

Assessoria | PJC-MT (atualizada 16h32)

A Polícia Civil realiza buscas aos corpos de duas mulheres desaparecidas em 2013. As investigações do Núcleo de Pessoas Desaparecidas, da Delegacia Especializada de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), apontam que o suspeito, Adilson Pinto da Fonseca, 48 anos, matou as mulheres e enterrou os corpos no terreno ou dentro da casa dele, no bairro Nova Conquista, em Cuiabá. Ele já está preso em flagrante por ocultação de cadáver.

A primeira vítima, Talissa de Oliveira Ormond, 22 anos, teve a comunicação do desaparecimento em julho de 2013. Ela era namorada do suspeito e a segunda vítima, Benildes Batista de Almeida, 39 anos, que desapareceu em dezembro de 2013, seria sua ex-mulher.

Ossada de uma delas foi encontrada mais de 1 metro de profundidade perto da calçada, na lateral da casa. Mesmo usando equipamento apropriado para rastreamento de solo, foi uma denúncia recebida enquanto o trabalho era realizado, que ajudou as equipes na localização do ponto em que o corpo havia sido ocultado.

A segunda ossada ainda não foi achada. No entanto, o suspeito, após a primeira ossada ser localizada, acabou confessando as duas mortes e informando onde teria enterrado a segunda vítima. No entando, depois o supeito voltou atrás na versão, afirmando que não sabe da morte da ex-mulher. As buscas continuam para averiguar outros locais do imóvel. 

Leia mais:  Assaltantes mortos em tentativa de roubo a malotes de abastecimento de caixas do Atacadão são identificados

Um exame de DNA deverá ser feito para confirmar se a ossada pertence a vítima, Talissa, a qual o suspeito confessa ter matado, porém, não deu detalhes do crime. 

As buscas são realizadas por determinação da Justiça, após requerimento da Polícia Civil. O delegado Fausto José Freitas da Silva, acompanha os trabalhos no local, junto com uma equipe da Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Corpo de Bombeiros com um cão farejador, Águas Cuiabá e um professor de Geologia da Universidade Federal de Mato Grosso.

“Viemos com uma equipe preparada para esse trabalho, com perícia, um  professor de geologia para fazer levantamento do solo e aparelhagem especifica para identificação dos pontos. Uma ossada já encontramos. A retirada dos ossos é muito delicada, tem  que se tirar  osso por osso para não quebrar. Temos uma suspeita do segundo local da outra vítima”, disse.

Os inquéritos, com mais de dois volumes de informações colhidas ao longo dos anos da investigação, direcionam para o suspeito. “Mas não tínhamos corpo e agora poderemos concluir”, afirmou o delegado Fausto José Freitas, que deve novamente interrogar o preso para saber das motivações  e circunstâncias em que as mortes ocorreram .

Leia mais:  Polícia Civil desarticula grupo criminoso envolvido em assaltos em propriedades rurais

Os sumiços

A vítima Talissa de Oliveira Ormond, 22 anos, teve o desaparecimento comunicado em 8 julho de 2013, cerca de quatro dias depois de sumir. A mãe da moça contou que ela tinha saído para trabalhar em uma empresa de telefonia e não mais deu notícias. Na empresa, a chefe da vítima informou à mãe que naquele dia ela tinha trabalhado o dia todo e quando saiu havia um rapaz moreno em uma motocicleta a espera dela. Mas ninguém a viu sair com ele. No dia seguinte, a vítima teria ligado na empresa pedindo socorro. Depois não deu mais notícias.

A segunda vítima,  Benildes Batista de Almeida, 39 anos, desapareceu em 17 de dezembro de 2013. Ela morava na cidade de Asturia, na Espanha, e tinha voltado ao Brasil, onde passou cinco meses com a família. A filha dela entrou em contato com a Polícia Federal, que não identificou que ela havia saído do Brasil. Ela era ex-mulher do suspeito.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Policial

Operação integrada cumpre mandados contra grupo criminoso atuante na região Oeste de MT

Publicado

Assessoria | PJC-MT

As Polícias Civil e Militar em ação conjunta deflagraram, na manhã desta quinta-feira (23.05), a operação “Passo Marcado”, com objetivo de dar cumprimento a 31 ordens judiciais, entre mandados de prisão e busca e apreensão domiciliar. As ordens judiciais tem como alvo um grupo criminoso atuante na região oeste do Estado nos crimes de roubos majorado, associação criminosa armada, posse e porte de arma de fogo e comércio ilegal de arma de fogo.

Os mandados judiciais, cumpridos nas cidades de Pontes e Lacerda e Figueirópolis D’Oeste, foram representados pela Polícia Civil, sendo expedidas seis ordens de prisão preventiva contra os suspeitos, Magdieldo dos Santos Silva, Arlindo Portilho Sobrinho, Josue Xavier da Silva, Eliazar Daniel da Silva, Marcio da Silva Santos e Vagner Leonel Garcia.

Com base nas investigações da Polícia Civil, a Justiça também decretou 25 mandados de busca e apreensão domiciliar, nos endereços dos investigados, de familiares e de outras pessoas que rtem elação com o grupo criminoso. O material apreendido durante as buscas ainda está sendo contabilizado pelas equipes policiais.

O grupo criminoso é investigado há cerca de 6 meses pela Polícia Civil, tendo o trabalho iniciado após a ocorrência de três roubos de caminhonetes modelo Toyota Hilux, na cidade de Figueirópolis D’ Oeste. Foram identificados como líderes do grupo, Magdieldo dos Santos Silva, Arlindo Portilho Sobrinho e Thiago Soares Nascimento, que tiveram mandados de prisão expedidos Justiça.

Leia mais:  Polícia Civil prende traficante com drogas e mais de R$2,5 mil em dinheiro na Capital

Durante as investigações, foram presos em flagrante pela Polícia Militar, Alessandro Cesar Santos Veiga, Thiago Soares Nascimento, Elton Douglas Ferreira dos Santos e Cristovão Oliveira dos Santos (executor de três roubos), além de identificada a participação de Tiago Fhellype Ney de Almeida (que continua foragido).

Segundo apurado, os suspeitos com emprego de arma de fogo subtraíram uma caminhonete Hilux no dia 28 de março também na cidade de Figueirópolis D’Oeste, cuja prisão foi realizada já na cidade de Pontes e Lacerda. Atuando da mesma forma, os integrantes do grupo foram identificados como autores de um crime idêntico no dia ocorrido no dia 16 de março, em Pontes e Lacerda, ocasião em que as vítimas foram mantidas em cativeiro até o amanhecer.

Foi descoberto na investigação, que Magdieldo vulgo Magno é segurança particular/noturno na cidade e o responsável por identificar as vítimas e repassar ao grupo criminoso, além de dar todo apoio logístico ás ações. Também apurou-se que ele goza de suposta credibilidade na cidade tendo sido candidato a vereador e ficando como 1º suplente nas eleições de 2016. 

Leia mais:  Polícia Civil já identificou autores de incêndio em viatura de Água Boa

Além dos roubos de veículos, a Polícia Civil apura o envolvimento de Thiago Soares do Nascimento em, pelo menos, dois crimes de furto a banco com a utilização de explosivos, fatos ocorridos em dezembro de 2018 na cidade de Jauru e fevereiro de 2019 na cidade de Figueirópolis D’ Oeste.

Participaram da operação, policiais civis de Jauru, Polícia Militar, ARI do 12 CR, Força Tática , DeFron, policiais civis de Comodoro, Campos de Júlio, Nova Lacerda, Vila Bela da Santíssima Trindade, Delegacias Regional e Municipal de Pontes e Lacerda, Policiais Civis de São José dos Quatro Marcos, Rio Branco e Mirassol d Oeste.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Gado roubado em Nossa Sra. do Livramento é recuperado pela Polícia Civil em Várzea Grande

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Um rebanho de gado roubado de uma propriedade na zona rural do município de Nossa Senhora do Livramento (42 km ao Sul) foi recuperado pela Polícia Judiciária Civil, na terça-feira (21.05), durante diligências realizadas pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG).

O assalto aconteceu na manhã de segunda-feira (20.05), na Fazenda Monjolo, na Rodovia BR 070. Três indivíduos armados invadiram o local onde renderam o proprietário que foi amarrado e mantido em cárcere dentro de um dos cômodos, por cerca de 10 horas.

Na ocasião, foram levadas vinte cabeças de gado, um touro e uma motosserra. Os criminosos usaram o telefone rural da vítima para ligar para os freteiros buscar os bois, e ainda fizeram almoço na casa.

Em investigação para apurar o roubo, os policiais civis da Derf Várzea Grande levantaram as informações que os animais estariam em um sítio em Várzea Grande. Com base nas suspeitas, a equipe foi até o endereço onde recuperaram o gado.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre prisão de autor de homicídio ocorrido em boate da Capital

O responsável pelo sítio não foi encontrado no momento da chegada dos policiais civis. No entanto, o já foi identificado e intimado para esclarecimentos dos fatos.

As diligências continuam com objetivo de prender os autores do roubo.

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana