conecte-se conosco

Economia

Pela aprovação da reforma, governo negocia idade mínima menor para professores

Publicado

rodrigo maia arrow-options
Marcelo Camargo/Agência Brasil – 10.7.19

Idade mínima dos professores cairia de 58 anos para 55 anos no caso dos homens e de 55 para 52 no caso das mulheres

Para facilitar a votação dos destaques ao texto-base da reforma da Previdência, aprovado pela Câmara dos Deputados na noite dessa quarta-feira (10) , o governo está negociando com os líderes do centrão e da oposição para reduzir a idade mínima dos professores em uma das regras de transição da categoria.

A ideia é apoiar o destaque do PDT. A idade mínima cairia de 58 anos para 55 anos no caso dos homens e de 55 para 52 para as mulheres. Isso seria válido na regra de transição que prevê pedágio de 100%. Para os demais trabalhadores, a idade mínima nessa regra segue sendo de 60 anos (homens) e 57 anos (mulheres) mais pedágio de 100%.

A mudança está sendo costurada com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM). A modificação deverá constar em uma emenda aglutinativa que vai incorporá também regras mais brandas para aposentadoria de policiais federais e um benefício maior para as mulheres a partir dos 15 anos de contribuição.

Leia mais:  Restaurantes do chef britânico Jamie Oliver entram em recuperação judicial

O governo e os líderes pretendem reduzir o impacto financeiro das mudanças para policiais , mulheres e professores em um outro artigo inserido na mesma emenda. O texto prevê concentrar na Justiça Federal as ações contra o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social). Apenas quando não houver vara federal a ação estaria na Justiça Estadual.

Leia também: Acumulou! Placar da Previdência deixa bolão de deputados sem ganhadores

A mudança traria uma economia de R$ 20 bilhões em dez anos, já que a Justiça Estadual é considerada mais cara para o governo se defender.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
publicidade

Economia

TRT bloqueia R$ 38 milhões do Rio para pagar indenização a agentes de saúde

Publicado

Fachada TRT arrow-options
Reprodução/Facebook

Decisão foi do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-RJ)

O Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (TRT-RJ) decidiu em audiência de conciliação hoje (17) determinar o arresto de R$ 38 milhões das contas bancárias de titularidade do município do Rio de Janeiro. A ação foi movida pelo Sindicato dos Agentes Comunitários de Saúde do Município do Rio e mais oito sindicatos devido à demissão de 1.500 agentes comunitários que trabalhavam nos hospitais públicos da prefeitura geridos pelo Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas).

Leia também: Suspeitos pela morte do pai, filhos de Flordelis devem ter prisão prorrogada

Os agentes reivindicam o pagamento dos salários e a apresentação dos Termos de Rescisão do Contrato de Trabalho do pagamento das rescisões contratuais de todos os substituídos, que incluam salários, aviso prévio, 13º salário e demais direitos trabalhistas.

Os agentes comunitários de saúde prestavam serviços nas Clínicas de Família do município e foram comunicados da dispensa no dia 30 de junho. O Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde foi desqualificado pelo Grupo de Trabalho Permanente de Qualificação e Desqualificação de Organizações Sociais, vinculado ao município do Rio de Janeiro , deixando de ser o gestor das unidades de saúde .

Leia mais:  Restaurantes do chef britânico Jamie Oliver entram em recuperação judicial

Em março deste ano, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio suspendeu o direito da organização social de participar de novas licitações por dois anos.

Antes, no dia 6 de junho, os servidores, considerando a possibilidade concreta de demissões em massa, decidiram em assembleia decretar uma greve por unanimidade devido ao eminente risco de não pagamento de direitos trabalhistas.

Leia também: ‘Vaza Jato’ não tem “prova efetiva” de que Moro foi parcial com Lula, diz PGR

A prefeitura do Rio informou que vai recorrer da decisão da Justiça do Trabalho. A Procuradoria-Geral do Município entende que o bloqueio de recursos públicos é indevido porque foi feito para pagar dívidas da Organização Social Iabas e não da prefeitura.

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Economia

Netflix decepciona investidores ao crescer menos que o esperado no trimestre

Publicado

site do netflix arrow-options
Getty Images

Receita subiu de US$ 3,91 bilhões para US$ 4,92 bi. Analistas esperavam US$ 4,93 bilhões

A Netflix adicionou menos assinantes trimestrais do que Wall Street esperava e sua base de clientes nos Estados Unidos encolheu à medida que sua programação não conseguiu atrair novos clientes, alertando investidores para a crescente concorrência.

As ações da Netflix caíram 13% no after-market desta quarta-feira (17), após a companhia divulgar resultados trimestrais e informar que perdeu 130 mil clientes dos EUA.

Saiba mais: Netflix pode ganhar US$ 1,3 bilhão por ano caso comece a ter propagandas

O serviço de streaming de vídeo dominante do mundo informou que atraiu 2,83 milhões de novos assinantes fora dos EUA, abaixo das expectativas de analistas que era de 4,8 milhões, segundo dados do IBES da Refinitiv. Analistas previam ganho de 352 mil nos Estados Unidos.

A Netflix previu crescimento de 7 milhões de clientes pagos no terceiro trimestre, com a ajuda de uma nova temporada do thriller sobrenatural “Stranger Things”, lançada em 4 de julho. Isso é mais otimista do que os 6,6 milhões previstos pelos analistas consultados pela Refinitiv.

Leia mais:  Restaurantes do chef britânico Jamie Oliver entram em recuperação judicial

Lista dos mais ricos do mundo é atualizada e Bill Gates perde segundo lugar

O lucro líquido caiu para US$ 270,7 milhões (US$ 0,60 por ação) no trimestre encerrado em 30 de junho, ante US$ 384,3 milhões (US$ 0,85 por ação) um ano antes. Já a receita total subiu de US$ 3,91 bilhões para US$ 4,92 bilhões. Analistas, em média, esperavam receita de US$ 4,93 bilhões.

Segundo o estrategista-chefe da Avenue Securities, William Castro Alves, um dos pontos de preocupação do mercado em relação à Netflix é que um menor crescimento coloca em xeque a solidez de seu balanço. Ele lembra que a empresa possui uma dívida total de US$ 12,6 bilhões e uma caixa de US$ 5 bilhões. Só neste primeiro semestre, a empresa queimou  mais de US$ 1 bilhão em atividades operacionais e investimento.  

“Quando há crescimento, é mais fácil contar com a leniência dos credores, mas e quando esse crescimento não vem? Como ficam as promessas de reverter a queima de caixa?  A empresa justificou a falta de crescimento pelo aumento de preços  que fez em algumas regiões e não vê problema na concorrência. Mas como fica a rentabilidade futura se a base de assinantes não cresce?” questiona Castro Alves.

Leia mais:  Censo 2020: temas como renda e migração devem ser reduzidos

Fonte: IG Economia
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana