conecte-se conosco

Política Nacional

“Não podia vir aqui para discutir Bolsonaro”, diz Lula após encontro com Papa

Publicado

source
Lula e Papa Francisco arrow-options
Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Lula e Papa Francisco

Após uma audiência privada de quase uma hora nesta quinta-feira com o Papa Francisco, no Vaticano, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que o argentino é um personagem “inspirador” e disse ter ficado muito “satisfeito” em conhecê-lo. O petista também disse que não tratou sobre o presidente Jair Bolsonaro e a gestão dele no Brasil durante a conversa com o pontifíce.

Leia mais: Investigação sobre advogado de delatores pode atingir Lava Jato

O encontro entre o brasileiro e o líder religioso argentino, o primeiro entre eles, aconteceu na casa de hóspedes Santa Marta, onde mora o papa , dentro do Vaticano . O ex-presidente afirmou ter conversado com o papa sobre o combate à pobreza, o desenvolvimento econômico voltado aos pobres e a defesa do meio ambiente.

Indagado se o governo de Jair Bolsonaro foi tratado na conversa, Lula limitou-se a dizer: “Não podia vir aqui para discutir Bolsonaro”, afirmou Lula em uma rápida conversa com jornalistas, na noite desta quinta, na sede da Confederação Geral dos Trabalhadores Italianos, uma espécie de CUT local, onde participou de um debate.

Leia mais:  Bolsonaro sanciona regra que regulariza prática considerada caixa dois

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Sede do PSOL recebe ameaças antissemitas, injúrias raciais e LGBTfóbicas

Publicado

source
panfleto arrow-options
Reprodução

Ameaça foi denunciada pelo Psol

Membros do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) em Niterói, na Região Metropolitana, denunciaram ter sofrido ameaças por escrito na noite desta quarta-feira, em um texto intitulado “Marielle Ausente! Comunista bom é comunista morto! Um ultimato ao PSOL.”. As informações são do jornal O Dia.

Em uma postagem nas redes sociais, o deputado estadual Flávio Serafini relatou o ocorrido. “O discurso de ódio está por toda parte. Em mais uma tentativa de nos intimidar, recebemos na noite de ontem (19), na sede do PSOL Niterói, um extenso documento repleto de ofensas antissemitas, injúrias raciais e LGBTfóbias e ameaças. O documento, que foi jogado por um homem enquanto ocorria uma reunião em nossa sede, escancara o ódio à figuras públicas e parlamentares da esquerda e à nossa companheira Marielle Franco”, escreveu. 

Leia também: “Há cheiro de queima de arquivo no ar”, diz Boulos sobre morte de miliciano

De acordo com Serafini, foi registrado um boletim de ocorrência na 77ª DP (Icaraí). 

Leia mais:  Bolsonaro sanciona regra que regulariza prática considerada caixa dois

A deputada federal Talíria Perone também comentou o episódio. “Um neonazista deixou no PSOL Niterói um panfleto racista e misógino ameaçando a sede e os militantes. Se o PSOL não retirasse a candidatura à prefeitura incendiariam a sede e atropelariam militantes. Filmamos a cara dele. Nenhum passo daremos atrás”, disse a parlamentar. Procurada, a Polícia Civil não havia comentado o caso até esta publicação. 

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Governadores se unem e formam frente de contraposição a Bolsonaro

Publicado

source
Governadores reunidos arrow-options
Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Governadores formaram frente contra Bolsonaro

Os governadores dos estados se uniram e criaram uma frente de contraposição ao presidente Jair Bolsonaro . Aliança inédita formada pelos líderes estaduais foi formada após a intensificação dos desentendimentos entre o Planalto e Congresso Nacional.

O grupo, que é composto por João Doria (PSDB-SP) e Wilson Witzel (PSC-RJ), deixou de se ater somente a assuntos tributários de interesse dos estados, como é o caso do IMCS dos combustíveis, e planeja ampliar seu papel institucional.

Leia também: Bolsonaro assina decreto para envio de Forças Armadas ao Ceará

O próximo assunto que deve ser o foco da aliança é a segurança pública, o que chamou a atenção dos governadores por conta do incidente envolvendo o senador Cid Gomes (PDT-CE), que foi baleado nesta quarta-feira (19) quando tentava furar um piquete de policiais militares amotinados.

Fazem parte do grupo 20 governador de todas as unidades da federação e três governadores eleitos pelo PSL ficaram de fora. Oficialmente, o espaço de discussão é chamado de Fórum Nacional de Governadores e os integrantes se reúnem periodicamente para suas discussões.

Leia mais:  Bolsonaro não recorre contra absolvição de Adélio e sentença transita em julgado

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana