conecte-se conosco

Mato Grosso

Missão do Programa REM elogia integração dos órgãos do executivo de MT

Publicado

A segunda missão de monitoramento do Programa REM Mato Grosso destacou a integração e a cooperação entre os órgãos do Poder Executivo Estadual na execução das ações que visam complementar as ações já desenvolvidas por Mato Grosso para combate ao desmatamento ilegal e valorização da floresta em pé.

“Todas as secretarias estão realmente trabalhando juntas. Quando chegamos aqui em 2016 isso não acontecia muito e agora vemos que esse processo está muito mais natural. Foi muito gratificante ver o compromisso de gerar resultados de implementação”, elogiou a coordenadora do Programa REM, Christiane Ehringhaus. Durante a visita, a líder da delegação também enfatizou a decisão da nova gestão, sob o comando do governador Mauro Mendes, em assumir o programa mantendo a mesma equipe gestora: “Também percebemos o comprometimento com a qualidade técnica e entrega de resultados diretos para a população que está na base”.

Para avaliar o avanço e implementação do programa REM Mato Grosso (REDD+ para pioneiros) e acordar as prioridades para sua efetivação, representantes do Governo de Mato Grosso, Instituto Produzir, Conservar e Incluir (PCI), banco Alemão KfW, Departamento de Negócios, Energia e Estratégia Industrial (BEIS) e Fundo Brasileiro da Biodiversidade (Funbio) se reuniram em Cuiabá entre os dias 25 e 30 de maio, semana que antecede as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente.

A partir das reuniões, foi elaborado e assinado documento que contém os elogios e orientações para melhoria na execução do Programa REM Mato Grosso. Dentre as considerações, a missão apontou a necessidade de definição de regiões geográficas prioritárias, preferencialmente duas na Amazônia e uma no Cerrado. O relatório também aponta para a importância de que as ações tenham convergência estratégica para que os resultados esperados de combate ao desmatamento ilegal e valorização da floresta em pé sejam atingidos.

Tecnologia

Leia mais:  Curso de Educação Científica está com inscrições abertas para todo o Estado

Durante a visita, a missão de monitoramento esteve na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), que coordena o programa REM Mato Grosso ao lado do Instituto Produzir, Conservar e Incluir, para conhecer na prática o trabalho da Superintendência de Fiscalização (SUF) e Superintendência de Regularização e Monitoramento Ambiental (SRMA). Por meio do programa de fortalecimento institucional previsto no projeto, a Sema pretende investir ainda mais em tecnologia, por meio de aquisição de imagens de satélite de alta resolução, para aumentar a eficiência do monitoramento em tempo real.

Servidora da Sema explica para a delegação como são feitas as análises e validações do Cadastro Ambiental Rural (CAR)

“Estamos criando um modelo de fiscalização para o combate do desmatamento ilegal que pode se tornar referência em todo País. Com a tecnologia que temos hoje já é possível agirmos mais rapidamente ao identificar os focos do desmatamento irregular”, destacou o secretário adjunto Executivo da Sema, Alex Marega, durante a ronda. A delegação também teve a oportunidade de conhecer a infraestrutura tecnológica que a Sema vem preparando para automatizar os processos de gestão ambiental e atualizar as bases de referência cartográficas.

A delegação da segunda missão de monitoramento do Programa REM foi liderada pelo banco KfW representado pela coordenadora do Programa REM, Christiane Ehringhaus, pelo gerente de Licitações e Compras, Klaus Kohnlein, o gerente de projetos, Florian Arneth e o assessor técnico de REDD+, Bojan Auhagen. Para representar o Reino Unido, estiveram em Mato Grosso Helen Humford do BEIS e Katerina Trosmann da Embaixada Britânica.

Secretaria vem preparando infraestrutura tecnológica para digitalização e automação dos sistemas de gestão ambiental

Estado pioneiro

Desde 2004, Mato Grosso obteve uma redução de 89% no desmatamento das suas florestas, mantendo 63% do seu território intacto. Portanto, Mato Grosso é campeão na redução do desmatamento, marca que o credenciou para recebimento dos recursos do Programa REM – projeto internacional que premia as jurisdições pioneiras na Redução das Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal (REDD+).

Leia mais:  Militar mato-grossense relata cotidiano de profissionais em missão da Onu no nordeste africano

Em 2017, durante a Conferência do Clima realizada na cidade alemã de Bonn, foi assinado o acordo entre Mato Grosso e os governos da Alemanha e do Reino Unido possibilitando a destinação ao Estado de até 22 milhões de libras e 17 milhões de euros, cerca de R$ 180 milhões na moeda atual, em um período de cinco anos. Para receber os valores, que são gerenciados pelo Fundo Brasileiro da Biodiversidade, o estado de comprometeu a manter o desmatamento abaixo de 1788km².  

Outra frente de atuação mato-grossense para conter o desmatamento e valorizar a floresta em pé é o desenvolvimento de estratégias integradas para o Desenvolvimento Rural de Baixa Emissão (DBRE). De acordo com o Instituto Earth Innovation, de 39 jurisdições que abrigam florestas tropicais em seu território, Mato Grosso é a única que mantém uma ampla gama de iniciativas mais avançadas que abordam a produção agropecuária sustentável para propriedades de grande e pequeno porte.

Essas iniciativas estão todas elencadas dentro da Estratégia Produzir, Conservar e Incluir (PCI), lançada na COP 21 em Paris, que inclui 21 metas claras para aliar produção com conservação ambiental e inclusão social. Os marcos foram desenvolvidos por meio de processos participativos que incluíram atores de setores públicos, privados e sem fins lucrativos e buscam o desmatamento líquido zero em todo o estado e zerar emissões líquidas de carbono florestal até 2030, mantendo aproximadamente 6 gigatoneladas de CO2 fora da atmosfera, além de manter no mínimo 60% da cobertura vegetal nativa.

 

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Parque Tecnológico promove mesa redonda sobre Economia Digital

Publicado

No próximo sábado (29.06), o Parque Tecnológico de Mato Grosso, em parceria com o Connect Mindset, realiza uma mesa redonda sobre o tema Economia Digital.

O evento ocorre na Arena Pantanal, a partir das 8h, no setor Oeste, 3º Andar.  As inscrições são gratuitas e podem ser feitas aqui.

O coordenador do Parque Tecnológico, Rogério Nunes explica que estudos apontam que 22,5% da economia mundial está diretamente relacionada aos meios digitais. “Podemos afirmar que a era da inteligência em rede está transformando muitos aspectos da vida, criando assim uma nova sociedade política e uma nova economia”.

Rogério destaca que o mercado de economia digital está crescendo e a cada ano que passa ele ganha mais força. “É importante compreender o que isso significa, já que a economia digital pode estar presente em diferentes segmentos da economia e, provavelmente, pode ser aplicada no seu próprio negócio”.

Cronograma:

8h30 – Recepção, credenciamento e networking;

Talk 1 – Marcus Lisboa (Especialista em Políticas Públicas; Cripto Economia e Blockchain);

Talk 2 – Dirce Carvalho (Fundadora do Projeto Modeladas; Conferencista; Empresária do mercado de startups; Vice-presidente do grupo de empresas Shilo; Atmosfera Space Coworking; e Comunidade das Nações; Gestora de Inovação e Tecnologia);

Leia mais:  Procon-MT faz alerta sobre aumento das bandeiras tarifárias

10h – Coffee-break e Networking

Talk 3 – J. B. Carvalho (Conferencista e autor de 12 livros, ênfase na formação de líderes e no desenvolvimento de pessoas; Professor e apresentador do Programa “Você é Show”, transmitido pela TV Bandeirantes, Rede Gênesis e Rede Boas Novas; Diretor presidente da Editora Chara e do Instituto Filhos do Brasil);

10h30 – Considerações finais e encerramento.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Detran-MT arrecada R$ 1,36 milhão com leilão de 628 veículos

Publicado

O Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso (Detran-MT) encerrou na última sexta-feira (21.06) os lances para o terceiro leilão realizado pela autarquia neste ano. Foram arrematados 628 veículos, entre automóveis e motocicletas, divididos em 575 lotes, com arrecadação de R$ 1,36 milhão.

No total, a arrecadação do Estado foi de R$ 1,58 milhão, após o recolhimento da alíquota de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que é de 17,5% sobre transações comerciais realizadas em Mato Grosso. O recolhimento do imposto estava previsto no edital do leilão e teve valor total de R$ 238 mil.

Com o fim do terceiro leilão, o Detran-MT possibilitou que cerca de 1,7 mil veículos retornassem para as vias públicas. O montante arrecadado com as três ações ultrapassa o valor de R$ 4 milhões, que são utilizados para a quitação de pendências fiscais dos veículos junto aos órgãos estaduais.

Prioridade de gestão

De acordo com o diretor de Veículos da autarquia, Augusto Cordeiro, a realização de leilões é apenas uma das ações para a promoção da limpeza dos pátios de remoção de veículos em todas as unidades. O quarto certame está previsto para ser realizado até o final do mês de julho.

“Temos realizado também a reciclagem de veículos considerados inservíveis, ou seja, que não possuem mais condições de trafegar pelas vias urbanas ou rurais. Desde janeiro foram descontaminados, prensados e destinados à reciclagem quase 7,2 mil automóveis e motocicletas. Nossa meta inicial era de 11 mil até o fim do ano, mas com certeza, iremos superá-la”, pontuou Cordeiro.

Leia mais:  Procon-MT faz alerta sobre aumento das bandeiras tarifárias

A arrecadação com a reciclagem alcança o montante de R$ 500 mil. Somente em Cuiabá, foram reciclados 936 carros e motocicletas.

Cordeiro destacou que as ações, leilão e reciclagem, serão permanentes durante toda a gestão. “É uma prioridade. A limpeza dos pátios da autarquia, seja na sede, ou no interior do Estado, será uma prática recorrente nos próximos quatro anos. Apenas com os três leilões deste ano superamos e muito o que foi feito em toda a gestão passada, quando somente 236 veículos foram leiloados”, lembrou.

Somente na sede, localizada no Centro Político Administrativo, o número de automóveis e motocicletas removidos ao pátio alcançava o montante de 4,8 mil, em janeiro de 2019. Agora apenas 860 veículos, sendo 70% motos, permanecem no local.

Segundo o diretor de Veículos, Augusto Cordeiro, a previsão é de que em 90 dias o pátio na sede da autarquia esteja totalmente limpo. “Temos um projeto para transformar o local em um estacionamento para os contribuintes. Somente o pátio localizado no Distrito Industrial será utilizado para a remoção, onde é possível armazenar cerca de 400 veículos”, contou.

Foto: Marcos Vergueiro

Descontaminação e reciclagem

O processo exige uma correta descontaminação dos materiais como combustível, óleo e baterias. Somente após a descontaminação é que o veículo é prensado, e por ele oferecido o maior preço por quilo do material ferroso. O valor da venda é destinado aos cofres do Estado e a previsão é de que até o fim do ano, a arrecadação chegue a R$ 1,2 milhão e um total de 11 mil veículos reciclados.

Leia mais:  Agência Central de Inteligência da PM começa ciclo de atividades

A descontaminação dos veículos teve início em janeiro deste ano, também para organizar e esvaziar os pátios das Circunscrições Regionais de Trânsito (Ciretrans), afastando, inclusive, criadouros de insetos. “Nosso principal foco com a limpeza dos pátios é justamente evitar que os veículos removidos tornem-se criadouros de insetos, além de contribuir com a preservação do meio ambiente, uma vez que materiais, como óleo ou combustível, não terão mais risco de vazar para o solo”, finalizou o presidente do Detran-MT, Gustavo Vasconcelos.

Foto: Christiano Antonucci

Confira o total da reciclagem e prensa de veículos nos municípios

Cuiabá: 936

Polo Cáceres

Rio Branco: 175

Jauru: 94

Pontes e Lacerda: 218

Vila Bela da Santíssima Trindade: 134

Comodoro: 136

Nossa Senhora Do Livramento: 96

Poconé: 316

Cáceres: 341

Mirassol Do Oeste: 257

Araputanga: 100

São José Do Quatro Marcos: 150 

Polo Juína

Juína: 142

Brasnorte: 163

Campo Novo Do Parecis: 277

Juara: 187

Tabaporã: 68

Porto dos Gaúchos: 126

Castanheira: 56

Sapezal: 297

Obs.: Colniza, Aripuanã e Cotriguaçu não tiveram veículos reciclados tendo em vista o período chuvoso.

Polo Tangará

Tangará da Serra: 967

Barra do Bugres: 503

Nova Olímpia: 175

Diamantino: 181

São José do Rio Claro: 140

Nortelândia: 81

Arenápolis:155

Nobres: 76

Jangada: 05 

Polo Rondonópolis

Rondonópolis: 1.608 (incluindo pátio da Ciretran e Delegacia-PJC)

Guiratinga: 192

Pedra Preta: 157

Jaciara: 363

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana