conecte-se conosco

Carros e Motos

Mais de 100 mil motos são produzidas em janeiro, alta desde 2015

Publicado

source
Motos arrow-options
Divulgação

Mercados de motos está se aquecendo cada vez mais. A tendência de alta é observada na Zona Franca de Manaus

A Associação Brasileira de Fabricantes de Motocicletas (Abraciclo) divulgou os números de produção das motos em janeiro. Eles revelam um aquecimento do mercado de motos. No primeiro mês do ano, representa um avanço de 19,5% em relação ao respectivo período de 2019, que teve 83.920 unidades produzidas, e de 45,2% sobre as 69.062 fabricadas em dezembro de 2019. Ao todo, Manaus viu 100.292 unidades saírem das fábricas instaladas em seu pólo industrial, que é o melhor desempenho desde 2015.

LEIA MAIS: Veja quais foram as 5 motos mais vendidas no mês de janeiro

Segundo o presidente da Abraciclo, Marcos Fermanian, esse resultado reforça a previsão do órgão de um crescimento da produção de motos em 6,1% para este ano. De acordo com as projeções, serão produzidas 1.175.000 motocicletas em 2020. “A procura por alternativas que garantam a maior eficiência na mobilidade urbana tem impulsionado o setor, já que muitas pessoas estão trocando o seu veículo pela motocicleta para se deslocar com maior flexibilidade nas médias e grandes cidades”, afirma o executivo sobre o mercado de motos .

Leia mais:  A aventureira BMW R 1250 GS está ainda melhor tanto na terra quanto no asfalto

Alta, apesar das quedas nas exportações

Honda arrow-options
Divulgação

Honda CG foi a moto mais vendida de janeiro, com 24.915 unidades emplacadas

Os repasses das fábricas para as concessionárias totalizaram 90.874 unidades, alta de 11,3% em relação a janeiro de 2019 (81.681 unidades) e de 26,8% sobre dezembro de 2019 (71.672 unidades). A categoria que registrou maior crescimento em foi a Scooter, com 7.792 vendas de atacado em janeiro, uma alta de 80,4% em relação às 4.319 unidades do mesmo mês de 2019 e de 1,08% com relação a dezembro (7.709 unidades).

LEIA MAIS: Veja as 5 motos inéditas mais esperadas de 2020

Fermanian, presidente da Abraciclo , lembra que a categoria segue em expansão contínua nos últimos meses. “Esses modelos se tornaram uma opção para quem compra a primeira motocicleta e também para aquelas pessoas que desejam uma alternativa mais rápida, eficiente e econômica de locomoção”. Já o segmento das Off-Roads alcançou o volume de 977 motocicletas vendidas no atacado, significando um crescimento 18,1% na comparação com o mesmo mês do ano passado (827 unidades) e recuo de 17,2% frente a dezembro de 2019 (1.180 unidades).

Leia mais:  Marca de scooters Kymco revela novo modelo elétrico, que pode vir ao Brasil

Por outro lado, a categoria mais comercializada segue sendo a Street, com 52,9% de participação. Em janeiro, foram comercializadas 48.071 unidades, representando um aumento de 8,9% ante as 44.146 unidades registradas no mesmo mês de 2019, e alta de 43,9% na comparação com dezembro de 2019 (33.406 unidades). Somente as exportações de motocicletas andam em baixa.

LEIA MAIS: Royal Enfield lança dois modelos e anuncia que vai montar suas motos no Brasil

Em janeiro, foram exportadas 1.701 unidades, volume 62,8% inferior ante as 4.570 unidades registradas no mesmo mês do ano passado. Na comparação com dezembro de 2019 (3.054 unidades), a queda foi de 44,3%. De acordo com dados do portal de estatísticas de comércio exterior Comex Stat analisados pela Abraciclo, o principal destino foi a Argentina, com 1.890 unidades, o que correspondeu a 62,7% participação em relação ao total exportado pelo setor. A crise no país vizinho é o que mais explica o fraco desempenho para a exportação, que afetou o mercado de motos . Na sequência aparecem Estados Unidos (575 unidades e 19,1%) e México (192 unidades e 6,4%).

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

Peugeot revela a Landtrek, picape média que chega ao Brasil em 2021

Publicado

source
Peugeot arrow-options
Divulgação

Peugeot Landtrek foi desenvolvida em parceria com a fabricante chinesa Changan

A Peugeot revelou as primeiras imagens oficiais de sua nova picape média, a Landtrek . Aguardada no Brasil para meados de 2021, o modelo é uma nova investida na estratégia de focar em veículos comerciais da marca francesa, prática que vem trazendo retorno para a Peugeot nos últimos anos.

LEIA MAIS: Amarok e Ranger poderão ganhar versões SUV de sete lugares, diz site

O modelo nasceu de uma parceria entre a Peugeot e a fabricante chinesa Changan. Na dianteira, a Landtrek traz elementos visuais com inspirações claras no 3008, o carro-chefe da marca francesa depois do 208. Destaque para os filetes em LED nos farois dianteiros. Sua traseira lembra levemente a Alaskan, picape da Renault que também deverá chegar no Brasil em 2021.

LEIA MAIS: Nova picape média da Hyundai é vista camuflada antes da estreia

De acordo com a Peugeot, o novo modelo tem 5,33 metros de comprimento (com cabine simples) e 192 m de largura, com capacidade para levar até 1 tonelada. Sua lista de equipamentos será composta por seis airbags, alerta de saída de faixa, quatro câmeras de assistência (nas versões mais caras) e ar-condicionado de duas zonas. 

Leia mais:  Audi e-tron GT é o novo carro de Tony Stark em Vingadores: Ultimato

Na Europa, o modelo terá motores 2.4 turbo (de 210 cv de potência, a gasolina) e 1.9 turbo (de 150 cv, diesel), com opção de câmbio automático ou manual, ambos de seis velocidades. Não há informações sobre o conjunto mecânico para o mercado brasileiro.

LEIA MAIS: Volkswagen terá picape intermediária e muitos SUVs até 2025

Seguindo as declarações da Peugeot na última edição da Fenatran, o Salão Internacional de Transporte Rodoviário de Cargas, a picape será lançada em outras regiões antes de chegar no Brasil. 

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Audi e-tron chega em abril na categoria dos SUVs elétricos

Publicado

source
Audi arrow-options
Divulgação

Entre os principais atrativos do Audi e-tron estão seus sistemas conseguem recuperar até 30% da capacidade da bateria

O Audi e-tron, primeiro SUV elétrico da marca, é confirmado para iniciar as vendas em abril. Em pré-venda desde novembro por R$ 459.990. Ele será vendido em 14 concessionárias da marca, estruturadas às necessidades da novidade, com técnicos especializados em venda e manutenção. As lojas estão localizadas nas cidades de Barueri (SP), Belo Horizonte, Brasília, Campo Grande, Curitiba, Londrina (PR), Florianópolis, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Vitória, além de 3 em São Paulo. Todas inclusive com os carregadores rápidos.

LEIA MAIS: Audi e-Tron GT e Porsche Taycan elétricos chegam em 2020 e são astros de filmes

Junto da chegada do Audi e-tron , a marca alemã anunciou uma expansão de sua linha de recarga em parceria com a Engie. Serão investidos R$ 10 milhões até 2022 para colocar 200 carregadores espalhados pelo Brasil, a maioria na cidade de São Paulo, para além dos mais de 300 já presentes em estabelecimentos públicos em todo o Brasil. Estes pontos poderão ser usados por qualquer carro elétrico , de qualquer marca, desde que tenha compatibilidade. Três anos depois de colocar esse plano em prática, em 2025, a Audi terá lançado mais de 30 modelos híbridos e elétricos.

Leia mais:  Toyota RAV4 e Peugeot 5008, entre o sonho e o preconceito

O Audi e-tron

Audi arrow-options
Divulgação

Seu interior carrega a nova linguagem visual da marca, com os equipamentos de última geração

O Audi e-tron tem dois motores elétricos, um em cada eixo. Juntos, entregam 362 cv e 57,2 kgfm. Entretanto, no modo Sport, a função de overboost é acionada, elevando os seus picos para 408 cv e 67,7 kgfm por até oito segundos. Com esse conjunto, o e-tron acelera de 0 a 100 km/h em 6,6 segundos e atinge a velocidade máxima de 200 km/h. Segundo a Audi, é capaz de uma autonomia máxima de 437 km de autonomia total com uma carga.

LEIA MAIS: Mercedes revela quatro lançamentos para o primeiro semestre

De série, traz uma entrada de recarga rápida (22 kW) que carrega a bateria em 4,5 horas. Como opcional, o SUV elétrico vem com a entrada de recarga ultrarrápida, que atinge 80% da carga em 30 minutos e 100% em 45 minutos. Mesmo que ainda tenha capacidade de recarga em tomadas convencionais, essa seria uma opção mais demorada, uma vez que levaria cerca de 8,5 horas para a recarga completa.

Desde o sistema de navegação com o planejador de rotas e-tron, que mostra os caminhos apropriados com postos de carregamento, cobrança automática nas estações de recarga e controle remoto via celular– o e-tron é extremamente conectado. O carro é equipado com o media center MMI navigation plus, que inclui a tecnologia LTE Advanced e um hotspot de Wi-Fi de série.

Leia mais:  Andamos no Fiat Cronos HGT, que une conforto e visual arrojado

LEIA MAIS: Volkswagen terá 12 SUVs inéditos e 8 carros elétricos em 2020

Diversos sistemas de assistência auxiliam o motorista. Por exemplo, o assistente de eficiência promove um estilo de condução econômica exibindo informações preditivas e realizando a recuperação automática de energia. Se o cliente selecionar o assistente de cruzeiro adaptativo, o sistema pode também frear e acelerar o Audi e-tron automaticamente.

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana