conecte-se conosco

Política Nacional

Janot pede suspensão de registro na OAB e vai deixar a advocacia

Publicado

source
Rodrigo Janot no plenário do STF arrow-options
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL

Janot disse que foi armado ao STF para matar Gilmar Mendes

O ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot comunicou nesta quarta-feira (9) que vai se afastar da advocacia e pediu a suspensão de seu registro da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). A revelação é do jornal O Estado de São Paulo, que diz que a previsão é que a matrícula do ex-PGR seja suspensa até 5 de novembro, o que o impede de atuar como advogado a partir dessa data.

Segundo Janot, a decisão foi tomada para “evitar constrangimentos”. Na última sexta-feira (4), o ex-PGR lançou um livro no qual conta episódios de quando ele comandava a Procuradoria-Geral da República. O evento aconteceu na capital paulista, mas chamou atenção por ter mais jornalistas do que visitantes. Na ocasião, apenas 43 livros foram vendidos.

Leia mais: Em noite de estreia pouco movimentada, Rodrigo Janot vende apenas 43 livros

Janot revelou recentemente que pensou em matar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, em 2017. Ele teria, inclusive, entrado armado no plenário da Corte.

Leia mais:  Bolsonaro indica que Coaf vai ficar no Ministério da Justiça, sob alçada de Moro

Apesar da revelação, o site Jota mostrou que no dia 10 de maio, véspera da data em que Janot disse em entrevistas que entrou armado no STF para atirar em Gilmar, ele viajou para Minas. O então procurador-geral da República só voltou no dia 15.

Leia também: Janot não estava em Brasília quando disse que pensou em matar Gilmar Mendes

A informação foi confirmada pelo GLOBO, conforme verificado no diário eletrônico do Ministério Público Federal, que registrou que Janot teve compromissos em Belo Horizonte entre os dias 10 e 12 de maio de 2017.

Também ao GLOBO, a Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou ter dado apoio aéreo para a viagem de Janot a Minas Gerais.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Carla Zambelli desabafa sobre crise no PSL: “Preferia ser expulsa”

Publicado

source
Deputada Carla Zambelli na Câmara arrow-options
Câmara dos Deputados

Zambelli foi uma das deputadas retaliadas por defender o presidente Bolsonaro

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) fez um desabafo sobre a crise do PSL em entrevista ao Congresso em Foco  e disse que preferia ser expulsa a continuar em um partido em que não é bem vinda. “Eu, particularmente, preferia ser expulsa. Porque é muito ruim estar em um lugar em que você não é bem vindo, não é benquisto, sabe que as pessoas têm raiva de você, tem uns contra a gente”, afirmou a parlamentar.

A declaração de Zambelli se dá mesmo após a vitória da ala bolsonarista do PSL da qual ela faz parte após Eduardo Bolsonaro , filho do presidente, assumir a liderança da sigla na Câmara dos Deputados .

Leia também: PSL suspende atividade partidária de Zambelli, Jordy e mais três deputados

A deputada acredita ainda não acabou e teme que novos ataques da ala bivarista possam surgir contra ela. “A gente ganhou esta batalha de ter o Eduardo líder. A gente já tem maioria, mas infelizmente não é só uma batalha, vão ter outras. É uma guerra grande. A gente está querendo pacificar, tanto é que a gente já chamou todo mundo do lado de lá para poder ter espaço, ver quais comissões eles precisam, ver que tipo de espaço eles querem. Para tentar pacificar essa briga”, disse.

Leia mais:  ‘Só devo lealdade ao povo’, diz Bolsonaro em evento militar em Santa Catarina

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Lula entra com pedido de anulação de provas de propina da Odebrecht

Publicado

source
Lula prestando depoimento arrow-options
Divulgação/Ricardo Stuckert

Lula é alvo de ação por recebimento de propina da Odebrecht

A defesa do ex-presidente Lula entrou com pedido de anulação de provas de pagamento de propinas adquiridas pela força-tarefa da Lava Jato em Curitiba com base nos sistemas de propina da companhia. O pedido foi feito à 13ª Vara Federal de Curitiba em uma ação à na qual o petista é réu por corrupção passiva e lavagem de dinheiro por ter recebido pagamento por meio do custeio de um terreno e de um apartamento utilizados pelo Instituto Lula.

De acordo com documentos obtidos pelo UOL , os advogados de Lula questionam a falta de registros sobre a cadeia de custódia das provas e violações cometidas por procuradores às regras de cooperação internacional com a Suíça.

Leia também: Pesquisa aponta que Lula é o único nome da esquerda para enfrentar Bolsonaro

A defesa usou reportagens do site feitas em parceria com o site The Intercept Brasil que mostram que a Lava Jato trocou ilegalmente informações com autoridades suíças e obteve acesso clandestino ao Drousys, um dos sistemas de propinas da Odebrecht.

Leia mais:  Bolsonaro diz não ter problemas com Moro e afirma “ingerência” em ministérios


Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana