conecte-se conosco

Mato Grosso

Escolas Estaduais participam de Feira de Matemática de Barra do Bugres

Publicado

Dezenove projetos de escolas da rede estadual foram selecionados para representar Mato Grosso no Encontro Nacional de Educação Matemática, que será realizado entre os dias 14 e 17 de julho, na Arena Pantanal, em Cuiabá. A seleção foi feita na segunda-feira (06) durante a 1ª Feira de Matemática de Barra do Bugres (Femabb).

Participaram do evento 34 escolas, de seis municípios do Estado, sendo 19 escolas da rede estadual. Ao todo, foram apresentados 226 trabalhos, envolvendo cerca de 900 alunos da educação básica e 170 professores orientadores. Dos 226 trabalhos apresentados, 35 foram selecionados para representar Mato Grosso no Encontro Nacional.

Além das escolas estaduais, participaram do evento escolas municiais e privadas. Os trabalhos apresentados na Femabb concorreram em quatro categorias: Educação Especial; Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental; Anos Finais do Ensino Fundamental; e Ensino Médio.

Na categoria Ensino Médio, uma das escolas estaduais selecionadas foi a Júlio Muller, com o trabalho “A Matemática na Engenharia Mecânica”, apresentado pelos alunos Mariangela Sales, Carlos Henrique Oliveira e Vandriane Oliveira.

“A feira me ajudou a entender melhor a matemática, pois além de aprender questões sobre o meu projeto, aprendi também com os projetos de outros colegas. Estou achando bem mais interessante”, disse a aluna Mariangela Sales, 15 anos.

O aluno Carlos Henrique, 16 anos, disse que também passou a gostar mais da matemática. “Antes achava a matéria um pouco chata, mas agora, depois que conheci vários projetos e forma de aprender, vi que pode ser bem mais divertida do que parece”. 

Leia mais:  Seduc orienta escolas a tomarem medidas para reduzir os efeitos do calor e baixa umidade

Outro trabalho que foi selecionado na categoria Ensino Médio foi o “Desenvolvendo Raciocínio Lógico com Imagens”, da EE Alfredo José da Silva. 

A aluna Lohayne Miranda Rodrigues, 17 anos, que apresentou o projeto, disse que escolheu o raciocínio lógico por achar que ele deve ser trabalhado com mais frequência nas escolas. “Ele está no nosso dia a dia e pode ser uma opção mais fácil e divertida de fazer com os jovens entendam melhor a matemática”.

A colega de Lohayne, a aluna Maria Samira dos Santos, 17 anos, disse que sempre gostou da disciplina, mas mesmo assim tinha dificuldade em aprender. “Não conseguia fazer entrar na minha cabeça. Mas a feira me ajudou a compreender melhor algumas questões”.

Além das escolas Alfredo José e Júlio Muller, também tiveram seus trabalhos selecionados para o Encontro Nacional de Educação Matemática as escolas EE Indígena Jula Paré; EE Julieta Xavier Borges; EE José Ourives; EE João de Campos Borges; EE Evangélica Assembleia de Deus; e EE 29 de Novembro.

O gestor governamental da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Nelson Viana, disse que ficou impressionado com a qualidade dos trabalhos apresentados. “Todo esse sucesso demonstra o empenho dos professores envolvidos na feira. Precisamos incentivar cada vez mais eventos como esse, pois é uma forma de fazer com que nossas crianças e jovens tomem gosto pela aprendizagem da matemática”.

Leia mais:  Consulta do MDF-e é disponibilizada aos contribuintes de Mato Grosso

Conforme destacou a assessora pedagógica de Barra do Bugres, Jucelia Vasconcelos, a realização do evento é uma forma de ampliar o conhecimento, melhorar o desempenho escolar e permitir aos alunos novas descobertas. “O incentivo é uma das formas mais eficazes de estimular e obter bons resultados no ensino e pode ser determinante para que o aluno tenha sucesso, independentemente da idade ou classe social, e é isso que estamos presenciando aqui”, observou.

A Femabb é organizada pela Sociedade Brasileira de Educação Matemática, Regional Mato Grosso (SBEM/MT), em parceria com a Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), por meio do Projeto de Extensão Feiras de Matemática nos Processos Formativos de Professores que Ensinam Matemática. Conta ainda com o apoio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc) e da Prefeitura de Barra do Bugres.

Para o coordenador geral da feira, professor Márcio Urel Rodrigues, a qualidade dos trabalhos apresentados demostra que o evento teve o resultado esperado, ou seja, que os alunos estão aprendendo e gostando da matemática. “São 226 oportunidades para aprender uma matemática que faz sentido e faz com que os alunos desenvolvam habilidades, passando a perder o medo e não ver mais a disciplina como um monstro, mas sim como algo agradável de se aprender”.

O professor acrescentou que a realização da feira também contribuiu para um movimento formativo para os professores envolvidos. “Essa é a oportunidade de mostrarem o trabalho brilhante que fazem dentro da sala de aula”.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Veículos novos serão utilizados na regularização fundiária do interior

Publicado

Cinco novos veículos vão reforçar as ações de regularização fundiária executadas pelo Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA). As caminhonetes locadas com recursos do Programa Terra a Limpo foram entregues na manhã desta quarta-feira (22.01), no Palácio Paiaguás. 

Conforme o presidente do Intermat, Francisco Serafim, os veículos são apenas uma parte do que o governo pretende investir para regularizar as áreas de domínio público, sejam elas federais, ou do Estado. 

“Com essa medida estamos dando condições para o trabalho. Estamos concedendo também combustível, óleo diesel, para as caminhonetes, e diárias para os técnicos do Incra realizarem este serviço. Estamos ajudando o cidadão mato-grossense do interior, já que um dos maiores problemas sociais do estado é a falta de regularização”, explica o presidente. 

Quatro caminhonetes entregues são do modelo Amarock, com tração 4×4, e uma delas do modelo Chevrolet S10, todas com manutenção preventiva e corretiva adequadas para trânsito em áreas de difícil acesso, como assentamentos e glebas rurais do interior do estado. O investimento na locação é de R$ 243 mil, em um contrato de 12 meses de atividade. 

Leia mais:  ‘Operação Tempus’ já prendeu 420 em flagrante, recuperou 90 veículos e apreendeu 52 armas de fogo

“Mais que os veículos, são os custos e as diárias para os técnicos do Incra que deverão correr todo o estado de Mato Grosso, com o único objetivo de beneficiar as pessoas que estão há muitos anos aguardando a sua regularização e até hoje não conseguiram. Isso foi apenas o início. Queremos limpar a fila de espera de títulos, e deixar esta pauta zerada nesta gestão”, afirma o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Carvalho.

Representando a bancada federal, o deputado federal Nelson Barbudo, elogiou a destinação dos recursos para estruturar os órgãos responsáveis pela política fundiária. “Quero agradecer ao governador, e ao pessoal que trabalhou incansavelmente para obter esse recurso, estamos dando continuidade a um trabalho. A celeridade é o mais importante. Precisamos que este recurso ajude a dar rapidez a nossa tão sonhada reforma fundiária”.

Conforme o superintendente do Incra de Mato Grosso, Ivanildo Teixeira, são beneficiados pelos recursos do Terra a Limpo mais de 180 assentamentos do interior do estado. “É um recurso que chegou em boa hora, a frota do Incra é antiga, o que não nos possibilita andar grandes distâncias. Os veículos serão utilizados tanto para a fiscalização do georreferenciamento, bem como vistoria para titulação dos assentados”, conta.

Leia mais:  População diz que obra melhorou o trânsito e valorizou a região

Terra a Limpo O programa prevê um investimento de R$72,9 milhões em Mato Grosso, com o objetivo central de promover a resolução de conflitos, e a segurança jurídica pela posse da terra, beneficiando famílias de agricultores de 87 municípios.

O programa foi instituído pelo Decreto nº 1.560, de 29 de junho de 2018, sob a coordenação central da Casa Civil, com a implementação da política fundiária no estado realizada pelo Intermat, em parceria de diversos órgãos estaduais.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Casa Dom Aquino está com inscrições abertas para curso de dança africana

Publicado

O Museu de História Natural Casa Dom Aquino abre inscrições para oficina de dança afro house e kuduro com Hermínio Nhantumbo. As atividades iniciam dia 05 de fevereiro e ocorrem todas as quartas-feiras, quintas-feiras e sábados, sempre das 17h30 às 18h30.

Aos interessados, as inscrições seguem abertas até o final do mês de janeiro e podem ser realizadas pela internet (inscrições aqui!). O valor da matricula é de R$20 e a mensalidade custa R$100.

Natural da cidade de Matola, em Moçambique, Hermínio, que também é artista plástico, faz parte da Companhia Municipal de Canto e Dança da Matola e disse que está se sentindo em casa em Cuiabá.

“Brasil e Moçambique têm uma relação histórica muito forte.  Alguns escravos que chegaram aqui saíram de lá, então temos muitas coisas semelhantes, como a língua, apesar de algumas diferenças, danças, comidas, enfim. Estou me sentindo em casa”, afirmou.

Desde 2003, Hermínio estuda dança contemporânea, danças tradicionais de Moçambique, trabalhando como coreógrafo e dançarino, promovendo também oficinas de dança no Brasil e no mundo.

Leia mais:  População diz que obra melhorou o trânsito e valorizou a região

Kuduro

Trata-se de um estilo musical dançante e muito agitado que surgiu em Angola. Recentemente o ritmo ganhou as pistas de dança mais alternativas do Brasil e, há pouco tempo, uma versão mais pop e aguada foi escolhida como música-tema da novela Avenida Brasil, da Rede Globo.

De acordo com Tony Amado, autoproclamado criador do Kuduro e conhecido como o “Rei do Kuduro, o gêner – que, como o nome sugere, é um neologismo para “bunda dura”– mistura elementos eletrônicos com o folclore do país africano.

A dança é agressiva e agitada como os golpes de Van Damme. Basicamente, o sujeito apoia as mãos nos quadris e abre e fecha os braços freneticamente enquanto flexiona o joelho para dentro e fora das pernas. As letras mesclam português com dialetos locais e falam do cotidiano pobre e de sexualidade. Sim, como o funk carioca.

Curiosidade! Ainda de acordo com Tony Amado, a ideia da dança surgiu depois de ver o filme O Desafio do Dragão (1989), em que Van Damme aparece num bar, embriagado, dançando com um estilo pouco habitual para aquela época.

Leia mais:  CGE participa de Congresso Brasileiro sobre tecnologia para a auditoria interna

Serviço

Casa Dom Aquino abre inscrições para curso de dança africana

Horário do curso:  quartas-feiras, quintas-feiras e sábados, sempre das 17h30 às 18h30

Local: O Museu de História Natural Casa Dom Aquino está localizado na Avenida Beira Rio, nº 2000, bairro Dom Aquino, Cuiabá (MT).

Informações: (65) 3634-4858 / 3052-8062 / casadomaquinomuseu@gmail.com

Inscrições: https://bit.ly/2tFdgCY

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana