conecte-se conosco

Mato Grosso

Diálogo como ferramenta dos relacionamentos

Publicado

Já dizia o “Velho Guerreiro” (saudoso José Abelardo Barbosa), mais conhecido como Chacrinha: ‘quem não se comunica, se trumbica’. Em sua transmissão Chacrinha nos alertava para a importância do diálogo, que se tornou a principal ferramenta do século na construção de qualquer relacionamento, seja ele profissional ou sentimental. A pessoa que consegue dominar uma boa forma de se comunicar, com certeza, irá obter sucesso em sua carreira ou na tarefa que se dispor a realizar. Mas como fazer isso? Para alcançar uma boa comunicação é necessário muito mais do que apenas ter os ouvidos abertos, o ouvinte precisa se propor a prestar atenção no outro e não só para se beneficiar, mas com o intuito de conhecer a necessidade, criar empatia para, assim, construir uma comunicação efetiva.

A formação de uma comunicação ativa – onde estamos abertos para escutar o outro – é o primeiro passo para se conhecer, é exercitar o autoconhecimento, entender quais os seus objetivos, valores e necessidades, para, a partir daí, ter condições de ouvir com humildade e poder entender os limites do interlocutor. No processo de comunicação, utilizamos muito mais do que a fala, precisamos nos atentar ao movimento corporal, expressão facial e cuidar para entender que cada pessoa tem a sua particularidade –  uma forma de se comportar, se direcionar, até mesmo gesticular -,  por isso, precisamos nos esforçar para respeitar e entender as diferenças.

Muitas vezes as pessoas chegam em determinado local para serem atendidas em busca de um objetivo, e, mesmo que não obtenham a resposta desejada, precisamos tomar muito cuidado no momento de se dizer o ‘não’, a forma que irá repassar essa negativa fará toda diferença para o receptor. No entanto, quando demostramos atenção para com o outro, ouvimos e tratamos as necessidades apresentadas com carinho e respeito, mesmo com a negativa em relação a problemática apresentada pelo interlocutor, tenha certeza que ele sairá satisfeito. Sendo assim, concluímos que um diálogo bem realizado é capaz de construir entendimento e fazer as pessoas mudarem suas atitudes.

Leia mais:  MT regulamenta licenciamento ambiental para atividades de aquicultura

É comum ouvirmos falar que determinada instituição está passando por uma ‘crise’. Quando isso acontece, seja ela interna ou externa, a primeira preocupação é com a comunicação, como a informação será repassada ao receptor? Nesse momento o diálogo será primordial, para isso é necessário que haja transparência das informações para  desenvolver a empatia sobre o assunto em questão, assim, conseguirmos esclarecer os fatos, controlar as ações, alcançar o bom entendimento entre as partes, ou mesmo compreensão por aqueles não envolvidos diretamente com o ocorrido. Com essa construção a instituição irá diminuir os ruídos e alcançar a solução da problemática existente.

Quando se trata do mercado de trabalho, é natural encontrarmos profissionais esforçados, dedicados, que realmente “vestem a camisa” da empresa, mas, muitas vezes, são péssimos na habilidade de se relacionar como os colegas, têm dificuldades com hierarquias e se acham autossuficientes – ausentes de empatia e humildade -, nesse sentido a falta do talento na arte de se comunicar faz com que esse bom colaborador fique fora do mercado. Isso demostra que somente a competência não irá segurar seu emprego, afinal, a importância do relacionamento consiste na troca de conhecimento e na oportunidade de aprender com a experiência do outro.

Em vários momentos me deparo com pessoas que não permitem dialogar sobre seus defeitos e limitações, mas na verdade esses indivíduos utilizam dessa autodefesa para afastar as críticas, evitando levá-los à reflexão das suas ações. Isso porque o induziria à conclusão de que o grande causador por não conseguir permanecer em um emprego, em convivência familiar ou até mesmo manter amizades, é a sua falta de capacidade em respeitar as escolhas e comportamentos diferentes do que a pessoa tem como certo.

Leia mais:  Ação integrada busca manter redução de crimes e foca no trânsito no interior

Quando nos referimos ao diálogo na construção dos relacionamentos, existe um ambiente que não podemos deixar passar desapercebido: a comunicação interna nas instituições, seja ela pública ou privada. É comum ouvirmos colaboradores reclamando da falta de informação no ambiente de trabalho, o que torna mais difícil a realização das atividades, como também alcançar o objetivo proposto pela empresa.

Para uma boa condução do processo das ações no ambiente de trabalho é necessário que a comunicação seja transparente, o feedback é essencial na evolução e motivação, e o líder precisa estar aberto a ouvir as sugestões e necessidades de seus liderados. Dessa maneira o colaborador terá uma nova perspectiva da empresa e desenvolverá suas atribuições com mais segurança e contribuirá na tomada de decisões. A construção da comunicação estratégica no ambiente de trabalho também e essencial para a integração do corpo administrativo. “Precisamos trabalhar como um corpo só, um pelo outro, onde um começa o outro consegue finalizar”, creio que essa integração das ações de forma ordenada, sempre respeitando hierarquias, facilita a integração e é importante para a saúde do relacionamento corporativo.

Gabriela Carvalho, graduada em Administração com expertise em Comunicação Social e Relações Institucionais Email: gabrielacarva@gmail.com

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Polícia Militar realiza o 1º Curso de Sobrevivência Policial em Cuiabá

Publicado

Na tarde de segunda-feira (27.01), as 15h30, no auditório do Comando Geral (QCG), em Cuiabá, o comandante geral da Polícia Militar coronel Jonildo José de Assis, abre o 1º Curso de Sobrevivência Policial.

A capacitação se estenderá por cinco dias, com 60 horas/aulas, e será voltada principalmente ao comportamento e procedimentos a serem adotados pelos policiais quando precisarem entrar em ação durante o horário de folga.

Dados nacionais mostram que morrem mais policiais militares quando estão de folga que durante o exercício das atividades operacionais. De acordo com o Anuário da Segurança Pública, edição de 2016, dos 393 homicídios que vitimaram policiais em 2015, 290 ocorreram quando estavam de folga.

Esse curso será ministrado pelo Batalhão de Operações Especiais (BOPE) de Mato Grosso e terá como conteúdos teóricos e treinamentos de práticas operacionais, atitudes e comportamentos visando à segurança do policial.

Na abertura os policiais assistiram a palestra do capitão Rafael Araújo do Batalhão de Operações Especiais(POPE) da Polícia Militar do Distrito Federal.

Leia mais:  Sesp e Federação de Bancos buscam alinhar sistema de comunicação integrado

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Mato Grosso

Empaer atende mais de 47 mil agricultores familiares em 2019

Publicado

Responsável pela execução das políticas públicas voltadas ao desenvolvimento do meio rural, a Empaer consolidou as principais ações e serviços executados no ano de 2019. Foram realizados 137 mil atendimentos para 47.560 agricultores familiares entre mulheres rurais, indígenas, pescadores, jovens e outros. Nesta safra foram financiados recursos na ordem de R$ 54,6 milhões para investimento e custeio através de projetos de crédito elaborado pela empresa. No início da gestão Mauro Mendes, a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), gerou uma economia de R$ 2,9 milhões por ano com a extinção de 86 cargos comissionados.

O presidente da Empaer, Renaldo Loffi, ressalta que o relatório de atividade da empresa mostra que foram emitidas 11.179 Declarações de Aptidão do Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar) para agricultores de 132 municípios. Foram elaborados 1.204 projetos técnicos para captação de crédito de investimento e custeio nas linhas do Pronaf e FCO (Fundo Constitucional do Centro-Oeste). Segundo Loffi, a contratação do crédito assegura a circulação de dinheiro na economia local e possibilita investimentos na região.

No período de janeiro a dezembro de 2019, a empresa atuou em 132 municípios do Estado, prestando serviços de Assistência Técnica e Extensão Rural, Pesquisa e Fomento Agropecuário. Formalizou parcerias com prefeituras de 56 municípios, através de acordos de cooperação, possibilitando melhores condições para manutenção das unidades operacionais municipais. Foram realizados 11 Encontro de Mulheres Rurais com efeito motivador, informativo, recreativo e de integração, que também apresentaram as políticas públicas para 4.572 agricultoras.

Renaldo Loffi, presidente da Empaer.

Atuação e parcerias

A empresa está presente em 127 municípios através de 148 unidades operativas, sendo um escritório central em Cuiabá, nove escritórios regionais, 132 escritórios locais, três centros regionais de pesquisa e transferência de tecnologia, um núcleo com sete laboratórios (solos, nutrição animal, fitopatologia, controle biológico, biotecnologia, sementes e entomologia), seis campos experimentais e quatro viveiros de produção de mudas. Toda essa estrutura conta com a força de trabalho de 654 servidores e funciona para atender o produtor rural, levando ao campo tecnologia e conhecimento para desenvolver a agricultura familiar.

Leia mais:  Polícia Militar salva 14 pessoas de veículos em chamas em ruas de Cuiabá

Loffi destaca que seu primeiro ato como presidente da empresa foi reduzir de 155 cargos para 69 cargos comissionados, economizando mais de R$ 240 mil por mês. Foi realizado também uma parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf) para o fortalecimento das Cadeias Produtivas de Pecuária de leite, Café, Cacau, Fruticultura, Olericultura e Apicultura em 32 municípios. E também convênios e parcerias com instituições públicas, empresas privadas e organizações sociais no valor de R$ 14,6 milhões.

Uma das parcerias é com o Programa Global REDD+ for Early Movers (REM), no valor de R$ 8,2 milhões para atendimento de 5.700 famílias em 33 municípios e também para reestruturação de escritórios da empresa. O REM premia países que apresentam resultados positivos na conservação de suas florestas, e foi viabilizado pelos governos da Alemanha e do Reino Unido. O programa REM em Mato Grosso prevê que recursos serão repassados em contrapartida ao cumprimento de metas de redução de desmatamento no Estado. Os repasses são realizados anualmente e a gerência financeira desses recursos fica a cargo do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio).

Atendimento digital

Conforme o presidente, o Sistema de Acompanhamento e Gerenciamento das Atividades da Empaer (Sagae), plataforma digital que está sendo utilizada para armazenar dados dos agricultores familiares e também acompanhar a eficiência dos técnicos no trabalho no campo, já cadastrou 15.220 agricultores. A previsão é de que até o final de 2020, a empresa tenha um retrato mais preciso da agricultura familiar no Estado de Mato Grosso.

Renaldo esclarece que de forma transparente e moderna, a ferramenta está sendo utilizada via web e aplicada para coletar as informações dos serviços prestados, além de avaliar o ganho social dos produtores rurais e o trabalho executado pelos funcionários da empresa. Ele explica que os técnicos estão inserindo dados pessoais do produtor e realizando o cadastro da família e da unidade produtiva, além do mapeamento com coordenadas geográficas, atividade produtiva, infraestrutura, equipamentos e outros. “Teremos informações precisas e um mapeamento geral da agricultura familiar no Estado”, ressalta.

Leia mais:  Procon-MT registra 3.300 reclamações; cobranças indevidas lideram em vários setores

Transferência de tecnologia

A pesquisa desenvolvida pela Empaer é voltada prioritariamente para a agricultura familiar e tem como objetivo gerar conhecimento e tecnologia com a finalidade de fomentar e diversificar a produção no Estado. Em 2019, contabilizou a implantação de 26 Unidades Tecnológicas, 16 experimentos de pesquisa e 10 unidades de validação com as culturas do arroz, feijão, trigo, banana, abacaxi, espécies de flores tropicais e ornamentais, milho, bovinocultura de corte, citrus, frutos de clima temperado, capim elefante para fins energético, produtos biofortificados e outros.

Na Estação de Piscicultura, localizada no município de Nossa Senhora do Livramento, foram produzidos 406.239 alevinos para recria e engorda. Foram destinados a 274 produtores de 12 municípios do estado, disponibilizando toda a tecnologia de reprodução das espécies tambacu, tambatinga e tambaqui para os piscicultores do Vale do Rio Cuiabá e regiões. Para o reflorestamento, recuperação de áreas degradadas, matas ciliares e formação de pomares foram produzidas 19.488 mudas de plantas nativas, frutíferas e ornamentais e micropropagadas.

No Núcleo de Laboratórios foram realizadas 45.196 análises laboratoriais, sendo 44.533 análises de solo, 542 de nutrição animal e 51 de fitopatologia, disponibilizando os serviços para 1.932 agricultores de 113 municípios. “O objetivo dos resultados dos trabalhos de pesquisa é gerar conhecimento e tecnologia para a agricultura familiar com a finalidade de fomentar e diversificar a produção no Estado”, enfatiza.

Plano de Demissão Voluntária (PDV)

Como medida de reestruturação da Empaer, Loffi fala que 348 servidores estão aptos a aderirem ao Plano de Demissão Voluntária (PDV). Ele destaca que o plano é uma medida para enxugar os gastos e tornar a Empaer mais eficiente, e ao mesmo tempo valorizar os funcionários que se dedicaram ao desenvolvimento da agricultura familiar no Estado de Mato Grosso.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana