conecte-se conosco

Policial

Delegado da PJC defende tese de mestrado em Sociologia

Publicado

 Assessoria | PJC-MT

O Delegado da Polícia Judiciária Civil, Gênison Brito Alves Lima, defendeu sua tese de mestrado com o título: “Segurança Pública e Participação Social em Mato Grosso: As Representações Sociais de Integrantes do Conselho Comunitário de Segurança da Região do Pedra 90 em Cuiabá”. O mestrado faz parte do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal de Mato Grosso. 

A apresentação do delegado que é classe especial e Coordenador da Polícia Comunitária da PJC, aconteceu no dia 14 de maio, no auditório do Instituto de Ciências Humanas e Sociais (ICHS) da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT).

Segundo o delegado, a pesquisa do mestrado buscou retratar a realidade dos conselhos comunitários, enquanto mecanismo de participação social, e sua interação com os demais órgãos do sistema de justiça criminal na concretização de seus anseios, bem como nas articulações e intervenções nas políticas estaduais ou municipais de urbanização, esporte, lazer, cultura, combate à evasão escolar e mediação de conflitos.

“A proposta da dissertação foi compreender como o controle social e a segurança pública são pensados pelos conselheiros comunitários de segurança pública e influenciam suas práticas na região do Pedra 90” destacou o mestre em Sociologia.

Leia mais:  Polícia Civil recaptura foragido da Cadeia em Barra do Bugres

A dissertação consiste num estudo a respeito do tema refletindo a realidade dos conselhos comunitários, enquanto mecanismos de participação social, e sua interação com os demais órgãos do sistema da justiça criminal na concretização dos seus anseios, bem como nas articulações e intervenções nas políticas estaduais ou municipais de urbanização, esporte, lazer, cultura, combate à evasão escolar e mediação de conflitos.

O objetivo geral era entender como as representações sociais dos conselheiros comunitários de segurança na região do Pedra 90, a respeito do controle social e da segurança pública, interferiam na atuação dos Consegs.

A investigação proposta teve enfoque qualitativo, adotou por princípio de delineamento o estudo de caso, quanto à natureza aplicada, e no que concerne aos objetivos trata-se de um estudo descritivo.

Ao final, os discursos e a apreensão das representações sociais dos conselheiros, revelaram a maneira pela qual as relações difusas entre a comunidade e os operadores do Estado se baseiam, fruto de suas práticas como aparelho de controle social, e como elas afetam intensamente o desenvolvimento de suas atividades na área de abrangência.

Leia mais:  Polícia Civil investiga homicídio de 4 jovens em Arenápolis

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
publicidade

Policial

Polícia Civil prende traficantes que utilizavam república para comércio de drogas

Publicado

Assessoria | PJC-MT

Dois homens e uma mulher que utilizavam uma república para o comérdio de entorpecentes foram presos em ação da Delegacia Especializada de Repressão a Entorpecentes (DRE), da Polícia Judiciária Civil, realizada nesta terça-feira (12.11), no bairro Sol Nascente, em Cuiabá.

Além das prisões em flagrante, o trabalho resultou na apreensão de várias porções de entorpecentes, objetos de origem ilícita e no cumprimento do mandado de prisão contra um foragido da Justiça.

Dircinei Soares de Oliveira, 36, (que estava com mandado de prisão em aberto), Cleiton Cordeiro Rodrigues, 20, e Maria Cristina Marques da Costa, 43, eram responsáveis pela venda de diferentes substâncias e foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico com aumento de pena por envolver menores de idade.

A prisão dos suspeitos ocorreu durante cumprimento de mandado de busca e apreensão expedido pela 13ª Vara Criminal de Cuiabá com base em investigações da DRE, que identificaram a república como uma conhecida boca de fumo na região.

Leia mais:  Polícia Civil cumpre ordens de prisão e internação contra envolvidos em vídeo de tortura em Barra do Garças

Em buscas na casa, foi encontrado no quarto da suspeita Maria Cristina cinco porções médias de maconha, um rolo de plástico filme, uma corrente com pingente de folha de maconha e R$ 26 em dinheiro. No quarto de Cleiton, foram apreendidas 02 porções médias de maconha, R$ 290 e dois aparelhos celulares possivelmente de origem ilícita.

No cômodo utilizado por Dircinei, foram encontradas 150 porções pequenas de cocaína já embaladas para venda, uma porção média da mesma substância, uma balança de precisão, além de um relógio e dois aparelhos celulares. Contra o suspeito, também foi constatado um mandado de prisão preventiva em aberto, por homicídio.

Segundo o delegado titular da DRE, Vitor Hugo Bruzulato Teixeira, a república funcionava próximo a Escola Estadual Doutor Hélio Palma de Arruda e os traficantes trabalhavam com uma clientela específica. “Na casa foram encontrados alguns menores de idade, e a suspeita Maria Cristina vendia os entorpecentes na presença de sua filha menor de idade”, disse o delegado.

Leia mais:  Polícia Comunitária realiza palestra para mais de 70 estudantes em Chapada dos Guimarães

Diante das evidências, os suspeitos foram conduzidos a DRE, onde após serem interrogados, foram autuados em flagrante pelos crimes de tráfico de drogas, associação para o tráfico com aumento de pena por envolver menor de idade.

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Policial

Autor de homicídio praticado em Cuiabá há 29 anos é preso em Brasília

Publicado

Assessoria | PJC-MT

O autor de um homicídio praticado há 29 anos teve o mandado de prisão cumprido pela Polícia Judiciária Civil, na segunda-feira (11.11), em Brasília (DF), após ter seu paradeiro identificado em investigações da Gerência Estadual de Polinter e Capturas (Gepol). O suspeito, Sátiro Leôncio de Arruda Filho, 50, estava com a ordem de prisão por condenação, decretada por homicídio qualificado que dificultou ou impossibilitou a defesa da vítima.

A prisão do suspeito foi realizada pela equipe da Gepol com apoio da Divisão Anti Sequestro (DAS) da Polícia Civil do Distrito Federal. Réu confesso, Sátiro Leôncio, foi condenado a 12 anos e 06 meses de reclusão em regime fechado e estava com a ordem de prisão pendente de cumprimento expedida pela 1ª Vara Criminal de Cuiabá.

O homicídio brutal praticado pelo suspeito ocorreu no dia 04 de novembro de 1990, no bairro Dom Aquino em Cuiabá, tendo como vítima Augsuto César dos Santos. Na ocasião, o suspeito acompanhado de um comparsa desferiu vários golpes de faca contra a vítima, que era filho de um policial militar aposentado.

Leia mais:  Estelionatário que se passava por fiscal para liberar carga de madeira apreendida é preso

O crime foi praticado em frente a irmã da vítima, na época de apenas 10 anos de idade. Mesmo ferida, a vítima tentou fugir dos agressores, mas foi perseguida e executada a facadas. Após receber a ordem de prisão contra o foragido, os policiais do Núcleo de Inteligência (NI) iniciaram as diligências investigativas, cartorárias e de campo, visando localizar e prender o suspeito.

Com a informação de que o foragido estava em Brasília, os policiais da Gepol solicitaram apoio da equipe do DAS conseguindo realizar a prisão do suspeito, no Centro de Reabilitação para Dependentes Químicos, na cidade-satélite de Brasilândia, onde ele atuava como terapeuta.

Depois de tomadas as providências de praxe para cumprimento do mandado, o preso será recambiado para Cuiabá onde permanecerá a disposição da Justiça.

 

 

 

Fonte: PJC MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana