conecte-se conosco

Carros e Motos

Conheça 5 novos micos do mercado que você não deve comprar em 2019

Publicado

Quem pretende comprar carro novo em 2019 precisa tomar cuidado para não cair em um dos micos do mercado. São modelos que não fazem muito sentido, podem desvalorizar muito e trazer  dores de cabeça. Para dar um refresco na hora de adquirir o seu carro novo, a reportagem do iG elege os cinco principais micos de mercado que devem ser evitados.

LEIA MAIS: Conheça os 5 carros mais procurados para compra na internet

1 – Fiat Mobi 1.0 GSR

Fiat Mobi arrow-options
Divulgação

Iniciamos a lista dos micos de mercado com a versão que menos gostamos do Fiat Mobi, a GSR, com câmbio automatizado

Entre todas as versões do Mobi que a Fiat disponibiliza na sua linha, o modelo GSR é o mais tortuoso de rodar. O câmbio automatizado é confuso, e parece não entender as reais intenções do motorista. Em uma subida, por exemplo, o subcompacto tarda a reduzir as marchas e passa a impressão de falta de fôlego entre os micos de mercado . Aliás, o subcompacto é um dos únicos automatizados que sobraram hoje em dia. 

O motor 1.0 de apenas 77 cv de potência e 10,9 kgfm de torque também não ajuda a vida do citycar fabricado em Betim (MG). De acordo com a fabricante, ele vai de 0 a 100 km/h em eternos 13,9 segundos, mas pode marcar bons números de consumo: 9,8 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada com etanol, e 14 km/l na cidade e 15,9 km/l na estrada com gasolina.

2 – VW Saveiro 1.6 Robust CD

Já imaginou comprar um carro sem direção hidráulica e ar-condicionado em 2019, ainda mais desembolsando R$ 53 mil? Isso é possível, caso você queira levar uma Saveiro Robust básica para a sua garagem. Nesse patamar de preço, fica complicada a ausência desses equipamentos essenciais. 

LEIA MAIS: Conheça 5 SUVs seminovos com até três anos de uso por R$ 60 mil

Sabemos que o propósito da Saveiro Robust é servir ao trabalho logístico. Dificilmente um consumidor convencional compraria o modelo para o dia a dia, mas a picape ainda está disponível para todos. Ela integra o motor 1.6, de 104 cv e 15,6 kgfm de torque, sempre com câmbio manual de cinco marchas. A versão com cabine simples (R$ 53.150) tem capacidade para 940 litros, enquanto a cabine dupla (R$ 66.240) pode levar 580 litros.

3 – Ford EcoSport Run Flat

EcoSport arrow-options
Divulgação

O Ford EcoSport perdeu o estepe em sua linha 2020. Os pneus run flat são bem mais caros que os convencionais

A maioria dos brasileiros coloca a estética antes da usabilidade, e isso fez a Ford tirar o estepe da traseira do EcoSport e acrescentar um kit de reparo e pneus run flat em sua linha 2020. Caso o pneu fure, o proprietário poderá percorrer no máximo 200 km, a velocidade não superior de 80 km/h. Trata-se de uma medida emergencial, para que o motorista não seja obrigado a parar o EcoSport em uma via perigosa para trocar o pneu.

Os consumidores, entretanto, ficaram receosos com a inovação. Por conta da ausência do estepe, o cliente poderá equipá-lo apenas com pneus do tipo run flat – que são bem mais caros que os convencionais. Além disso, substituir os pneus por modelos convencionais é proibido no caso do EcoSport, que não pode rodar sem estepe e pneus convencionais por que não foi homologado assim.  

Leia mais:  Veja 5 modelos híbridos seminovos que podem fazer até 18,9 km/l na cidade

4 – Renault Captur 2.0 AT4

Renault Captur arrow-options
Divulgação

O Renault Captur 2.0 continua aparecendo no site da fabricante francesa mesmo sem fazer parte da linha 2020

Um carro só sai de linha quando deixa de ser oferecido, e o Captur com primitivo câmbio automático de apenas quatro marchas continua no site da Renault. Isso significa que algumas concessionárias ainda contam com esta versão no estoque. 

O casamento entre o motor 2.0 de 148 cv de potência e 20,9 kgfm a 4.000 rpm com o câmbio automático de apenas quatro marchas é tumultuado, com trocas muito confusas. O porta-malas é bom, com 437 litros de capacidade, mas sugerimos que você considere os rivais Honda HR-V e Ford EcoSport. Ou as versões 1.6 com câmbio automático CVT. 

5 – Chevrolet Cobalt Elite

Chevrolet Cobalt arrow-options
Divulgação

A versão Elite do sedã Cobalt já não faz mais parte da linha 2020 para abrir espaço para o Onix Sedan

 O sedã  Cobalt tem lá suas qualidades. No geral, é um carro espaçoso, confortável e de mecânica bem acertada. A Chevrolet, por outro lado, ainda oferece as últimas unidades da versão Elite de 2019 em seu site. Mas apostar no modelo top de linha pode não ser uma atitude das mais inteligentes, uma vez que já iniciamos a contagem regressiva para a chegada do Onix Sedan, que chega em outubro próximo. 

LEIA MAIS: Veja os 5 lançamentos que mais gostamos de dirigir na primeira metade de 2019

Neste cenário, adquirir uma das últimas unidades do Cobalt Elite perde o seu propósito. O modelo tem motor 1.8, de 111 cv de potência e 17,7 kgfm de torque, aliado ao câmbio automático de seis marchas (o mesmo que equipou a antiga geração do Cruze). Para acelerar de 0  a 100 km/h o sedã precisa de 10,5 segundos entre os micos de mercado , conforme a fabricante.

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
publicidade

Carros e Motos

BMW  330i: sedã  esportivo de verdade

Publicado

source
BMW 330i arrow-options
Carlos Guimarães/iG

BMW 330i: sedã tem fôlego de sobra e consegue acelerar de 0 a 100 km/h em menos 5,8 segundos, diz a fabricante

Dia desses me lembrei de um short film em que um rapaz sofre com o estresse de uma entrevista de trabalho. Naquela atmosfera um tanto sombria do filme, ele acaba indo para a garagem do prédio de escritórios e lá aparece um reluzente BMW M3 do final dos anos 80. A partir daí, a cara amarrada vai se descontraindo na medida em que o prazer de dirigir passa a ser uma espécie de antidoto.

LEIA MAIS:  Mercedes C300 Sport: sedã com esportividade bem equilibrada

Ainda bem que continuam dando valor à questão da tradição em algumas marcas, uma delas, a BMW. No 330i (R$ 269.950) você resgata a aura esportiva capaz de aumentar a taxa de andrenalina nas suas veias e tornar seu dia mais animado, mesmo que o céu esteja cinza e o excesso de trabalho tenha acabado com seu senso de humor.

A receita do remédio do BMW 330i contra o desânimo começa com um ronco que sai pelas duas saídas de escape e entra nos seus neurônios. Acelere e sinta a sensação de precisar respirar mais fundo. São 258 cv e nada desprezíveis 40,8 kgfm de torque, força equivalente a quatro vezes a de um carro popular 1.0 aspirado. Para extrair todo esse rendimento, há recursos como turbo, injeção direta de combustíuvel e variadores de fase na admissão e escapamento.

 Sem provocar demais o acelerador, comece devagar. E dê uma olhada no belo painel da nova geração do Serie 3, que inclui multimídia de última geração, com tela de alta resolução conectada à internet, o que torna possível acessar informações em tempo real, entre as quais do trânsito e da meteorologia. Ao longo dos anos, a BMW foi aperfeiçoando o sistema e hoje tem comandos bem mais fáceis e intuitivos com ajuda do botão giratório no console central.

Leia mais:  Honda Civic Touring: por que ele é melhor que o HR-V turbo?

Além do som de alta-fidelidade do BMW 330i também impressiona a quantidade de recursos disponíveis, como HD interno, carregador de celular por indução, roteador wi-fi e até CD player para quem ainda curte ouvir música à moda antiga, sem usar entrada USB com conexão Bluetooth.  E o acabamento é de primeira linha e conta com luz ambiente que pode ser personalizada de acordo com o gosto do freguês.

LEIA MAIS:  Jaguar XE S 3.0 V6: pergunte ao vento se motores rugem

Ponto positivo também para o ar-condicionado digital, bem como a ergonomia e o conforto dos bancos revestidos de couro e que seguram bem o corpo nas curvas. O volante de três raios com boa empunhadura também agrada. Só achei que exageram um pouco no estilo do cluster digital, que perdeu muito do charme do que vinha sendo usado nas gerações anteriores do Série 3. 

O que não muda nunca e precisa ser preservado é o conjunto bem acertado do sedã da BMW, sempre com tração traseira e motor na frente e uma distribuição de peso perfeita. Somado ao baixo centro de gravidade e ao ajuste da suspensão com multibraço no eixo de trás, chega-se a uma estabilidade irrepreensível. Basta contornar a curva na trajetória certa que o carro se mostra tão obediente quanto um cão farejador. 

BMW 330i arrow-options
Carlos Guimarães/iG

BMW 330i vem com lanternas fumês e duas saídas de escape na traseira entre os principais detalhes

E se isso ainda não for suficiente para arrancar um sorriso então experimente acelerar de 0 a 100 km/h em meros 5,8 segundos.  É de tirar o fôlego, mas logo em seguida você ficará mais animado, como se tivesse recebido um tapa na costas para acordar. Se estivesse em pista fechada poderia continuar acelerando até atingir os 250 km/h de máxima, velocidade controlada eletronicamente.

Leia mais:  Ford vs Ferrari: uma história além das pistas

 Como não poderia deixar de ser, entre outros aperfeiçoamentos na comparação com o 328i da geração anterior , o sistema de direção elétrica também consegue atingir a perfeição. Agora, leve nas manobras e firme conforme vai aumentando a velocidade, sem deixar de ser anestesiada, ou seja, consegue transmitir o que acontece entre o piso e os pneus com maestria.

Em piso irregular, porém, o ajuste esportivo , assim como os pneus de perfil baixo 225/40 R 19, acabam causando alguns solavancos e prejudicando um pouco o conforto. Mas é o preço que se paga por um sedã esportivo de verdade, um degrau abaixo do lendário M3, mas com disposição de sobra e detalhes como as hastes de alumínio atrás do volante, que facilitam uma tocada mais animada.

Se for cauteloso ao acelerar, conforme os números do Inmetro, o BMW 330i pode fazer até 8,5 km/l na cidade e 13 km/l na estrada, com autonomia teórica de 501,5 km em trechos urbanos e de 767 km em rodiviários, levando em conta o tanque de 59 litros, nada mau, não?

LEIA MAIS: Volvo S60 T5 Inscription: liberal na economia, conservador nos costumes

Conclusão

Entre os sedãs com apelo esportivo que temos hoje em dia, o BMW 330i consegue entregar uma combinação entre desepenho e conforto na medida ideal, melhor do que rivais como Mercedes C300 Sport (R$ 278.900) e o Jaguar XE R-Sport P250 (R$ 250.200), que não conseguem ter a mesma relação peso potência de meros 5,7 kg/cv do modelo da marca bávara. 

Ficha técnica

Preço: R$ 269.950

Motor:  2.0, quatro cilindros, turbo, flex

Potência:  258 cv a 5.000 rpm

Torque:  40,8 kgfm a 1.550 rpm

Transmissão: Automático, oito marchas , tração dianteira

Suspensão: Independente, McPherson (dianteira) / Independente, miultibraço (traseira)

Freios: Discos ventilados (dianteiros) / discos ventilados (traseiros)

Pneus: 225/40 R19 

Dimensões: 4,71 m (comprimento) / 1,83 m (largura) / 1,44 m (altura), 2,85 m (entre-eixos)

Tanque: 60 litros

Porta-malas: 365 litros 

Consumo gasolina: 8,5 km/l (cidade) / 13 km/l (estrada)

0 a 100 km/h: 5,8 segundos 

Velocidade máxima: 250 km/h 

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Carros e Motos

Triumph Tiger 800 e 1200 chegam com preços promocionais de até 8,5%

Publicado

source
Triumph arrow-options
Divulgação

A Triumph Tiger é um dos modelos mais populares entre os condutores que ora estão no asfalto, e ora na terra

A Triumph Tiger tem descontos especiais em janeiro. De acordo com a marca, os descontos chegam a até 8,5% e é válido até o dia 31 de janeiro. A promoção é válida para os modelos Tiger 800 XCx, Tiger 800 XRx, Tiger 800 XCA, Tiger 800 XRt, Tiger 1200 XCx e Tiger 1200 XCA. A trail se enquadra na linha premium, com oferta de equipamentos mais refinados, a partir dos R$ 45.990 em valor promocional.

LEIA MAIS: Triumph Tiger 900 é revelada com mais aptidão e modernidade que a 800

A Triumph Tiger traz novo painel de instrumentos com tela TFT colorida, freios dianteiros assinados pela Brembo e novos botões iluminados. O motor de 800 cc produz 95 cv 141 cv e 12,4 kgfm, equipado com sistema de escape mais leve e esportivo, além de uma primeira marcha mais curta, justamente para melhores respostas no uso fora-de-estrada. Junto com a suspensão Showa, chegou recentemente um novo modo de condução off-road para os pilotos mais experientes da Tiger 800 .

Leia mais:  Mercedes-Benz entra na Fórmula E com desejo de repetir sucesso da Fórmula 1

LEIA MAIS: Yamaha Tracer 900 GT 2020 acaba de chegar às lojas com novidades

A embreagem da trail conta com suporte de torque, sistema que auxilia no controle do piloto em todas as superfícies. O conjunto de assentos é pensado para aumentar a ergonomia do piloto e proporcionar mais conforto para longas distâncias. Os modelos XRt e XCa vêm de fábrica com um novo sistema de iluminação adaptável às curvas que assegura maior visibilidade nas curvas.

LEIA MAIS: Triumph acaba de lançar a nova geração da Rocket III em duas versões

A linha Tiger 1200 , com 137 cv e 12,3 kgfm, por sua vez, oferece ainda gerenciamento por Unidade de Medição de Momento de Inércia (IMU), sistema de frenagem integrado (desenvolvido com a Continental) e controle de tração otimizados para curvas. Sem falar do controle de arranque em subida, acelerador eletrônico e seis modos de pilotagem. Enquanto isso, o para-brisa é eletricamente ajustável.

Veja os preços promocionais da Triumph Tiger a seguir:

Tiger 800 XRx: de R$ 48.890,00 por R$ 45.990,00 (desconto 6%);

Leia mais:  Renault Sandero Zen 1.6 CVT chega para esquentar briga entre automáticos

Tiger 800 XCx: de R$ 51.390,00 por R$ 47.990,00 (desconto de 6,5%);

Tiger 800 XRt: de R$ 54.890,00 por R$ 52.890,00 (desconto de 3,5%);

Tiger 800 XCA: de R$ 55.890,00 por R$ 53.890,00 (desconto de 3,5%).

Tiger 1200 XCx: de R$ 73.900 por R$ 68.990,00 (redução de 6,5%);

Tiger 1200 XCA: de R$ 85.200 por R$ 77.990,00 (redução de 8,5%).

Fonte: IG Carros
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana