conecte-se conosco

Mato Grosso

Colônias de Férias proporcionam diversão e conhecimento para crianças

Publicado

As férias de julho estão mais animadas para as crianças que participam das colônias de férias na Biblioteca Pública Estadual Estevão de Mendonça ou no Museu de Arte Sacra de Mato Grosso. Aliando diversão e conhecimento, os dois espaços culturais oferecem atividades lúdicas, gincana, cinema, jogos educativos, teatro de fantoche, oficinas e muita brincadeira nos dias de programação.

Miguel dos Santos Lima, 9 anos, confessou que queria passar as férias jogando videogame. Foi para a biblioteca meio desanimado e por insistência da mãe. Porém, chegando lá, se envolveu nas atividades e terminou gostando. “Está muito legal, curti o filme e a oficina de boneco”.

A mãe, Ivone dos Santos, contou que viu a programação e motivou o filho a participar, na esperança de mostrar a ele outras formas de diversão. “Ele está nessa fase de resistir à leitura, quer ficar jogando no celular. Consegui trazê-lo e valeu muito à pena”.

A colônia de férias na Biblioteca Estevão de Mendonça segue até esta quinta-feira (18.07), das 13h às 16h30, e é gratuita. Com mais de 300 crianças inscritas nos três dias, a organização estima um atendimento de pelo menos 450 pessoas, incluindo os acompanhantes.

Além das atividades pedagógicas (cinema, oficinas de slime – massinha – e criação de boneco, entre outras), o jardim externo foi preenchido com pula-pula, escorregador e piscina de bolinhas, que chamam a atenção de quem passa em frente ao Palácio da Instrução. Em um dos jardins internos, a equipe montou um cantinho com pufes para as descansarem ou lerem. No outro lado, elas podem aproveitar o carrinho de pipoca, algodão doce e cachorro-quente servidos de lanche.

Leia mais:  ‘Letras dos 300’ uniu diferentes linguagens para homenagear a cultura regional

“Está sendo muito legal. É a primeira vez que venho e quero aprender a fazer slime. Vou participar todos os dias”, revelou Maria Eduarda, 9 anos.

Pesquisando programação de férias para a filha Isadora, de 7 anos, Jéssica Ferreira Lima levou a menina e candidatou-se como voluntária. Ela destacou que escolheu a biblioteca por acreditar que a colônia neste espaço valoriza a cultura e o conhecimento, além de ser uma atividade gratuita. 

“Os filhos ficam de férias, mas nem sempre os pais conseguem, então decidi ser voluntária para ajudar essas pessoas que não podem vir junto com as crianças e a biblioteca também traz essa segurança para os pais deixarem os filhos”.

Outro espaço com uma programação diferente é o Museu de Arte Sacra de Mato Grosso. O espaço abriu as portas para crianças de 6 a 11 anos em uma programação especial que segue até domingo (21.07). As atividades começaram na quarta-feira (17.07) com visitas guiadas para conhecer o acervo, além de jogos educativos.

Nos outros dias, haverá oficinas (desenho com Carlos Pina e montagem de camiseta com Lua Brandão), modelagem de argila e teatro de fantoche. As crianças também irão participar de um treinamento para serem mediadores mirins, e ao final poderão fazer a condução de uma visita, apresentando o museu para familiares. Ao fim, haverá apresentação de uma peça de teatro de fantoches e será montada uma exposição com os trabalhos desenvolvidos pelos participantes.

Leia mais:  PM apreende papelotes de maconha e identifica suspeito que fazia entregas

Cheia de ansiedade, Ana Luisa Dias, 8 anos, conta que mal dormiu esperando pela colônia de férias no museu. “Estou gostando de tudo, eu não conhecia a história da igreja que foi demolida”, explica, contando sobre a atividade em que aprendeu sobre a catedral de Cuiabá.

Também muito animado com tudo, Rafael Reis, 5, disse que estava empolgado porque adora participar de colônia de férias. “Ano passado fui em uma de fazer comida e slime”. Ele, que inclusive diz já conhecer vários museus, agora escolheu o de Arte Sacra como o preferido. “É o mais legal porque tem colônia”.

A colônia de férias no Museu de Arte Sacra ocorre o dia todo, com duas turmas de idades diferentes. Para o público de 6 a 8 anos, as atividades ocorrem das 8h às 12h. Os maiores, de 9 a 11 anos, participam no período da tarde, das 13h às 17h.

Serviço

Mais informações sobre a colônia de férias podem ser obtidas diretamente na Biblioteca (65) 3613-9240/9230 e no Museu (65) 3056-1373.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

Gefron apreende mais de 100kg de drogas em Cáceres-MT

Publicado

O Grupo Especial de Segurança na Fronteira (Gefron) apreendeu 106kg de drogas, na noite de segunda-feira (21.10), no município de Cáceres (214 km a Oeste da capital). Ao todo, foram apreendidos 50 tabletes de pasta base de cocaína e 50 tabletes de cloridrato de cocaína. A ação foi realizada durante o patrulhamento na estrada de São Sebastião, às 22h45. 

Os policiais avistaram três motos durante o patrulhamento e fizeram a abordagem. Dois suspeitos saltaram das motos e realizaram disparos contra os policiais, que revidaram os tiros e conseguiram deter dois deles. Um dos suspeitos foi baleado. O terceiro fugiu por mata fechada. As motocicletas em que foram encontrados os entorpecentes também foram apreendidas.

Após ser prestado socorro ao ferido, J.A.F.V. (53 anos), ele e o suspeito J.V.P.V. (18), foram detidos. Foi registrado um Boletim de Ocorrência que foi, posteriormente, encaminhado para a Delegacia de Polícia de Pontes e Lacerda para providências.

(Sob supervisão da jornalista Nara Assis)

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Leia mais:  Micro e pequenas empresas geram 59% das vagas de trabalho em MT
Continue lendo

Mato Grosso

Estado dá continuidade aos procedimentos para regularização do Vale do Mangaval

Publicado

A Secretaria de Estado de Agricultura Familiar (Seaf), por meio da Superintendência de Crédito Fundiário, realizou no último sábado (19.10), uma visita técnica ao projeto de crédito fundiário ‘Vale do Mangaval’, em Cáceres. O encontro teve o objetivo de apresentar a metodologia que será aplicada pelo Governo do Estado, em parceria com a Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), para continuar o projeto de regularização ambiental das propriedades.  

O atendimento às famílias do ‘Vale do Mangaval’ também é objeto da parceria entre Mato Grosso e a Organização das Nações Unidas (ONU), por meio do Programa para Economia Verde (Page). O programa trabalha no incentivo às políticas sustentáveis, capazes de conjugar eficiência produtiva e preservação ambiental.

No sábado, as famílias foram instruídas sobre a importância de reunir toda a documentação dos moradores da propriedade e a necessidade de que estejam receptivos à visita dos agentes, que irão percorrer os 121 lotes para aplicação do questionário. A coleta dos dados será realizada entre os dias 04 e 08 de novembro, e terá a participação de servidores da Seaf, Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e UFMT. O trabalho de campo também contará com a presença de acadêmicos dos cursos de Geografia e Engenharia Florestal da universidade.

Leia mais:  ‘Letras dos 300’ uniu diferentes linguagens para homenagear a cultura regional

O trabalho consistirá no mapeamento socioeconômico das famílias por meio do sistema eletrônico Regularização Ambiental e Diagnóstico dos Sistemas Agrários (Radis), desenvolvido pelo Escritório de Inovação Tecnológica (EIT), da UFMT.

As informações serão coletadas e catalogadas a partir de questionários aplicados durante as visitas. Além de traçar o perfil socioeconômico do agricultor e levantar informações relativas à vocação agrícola e ao sistema agrário local, o questionário também reunirá dados que permitirão avançar, posteriormente, na regularização ambiental e fundiária do projeto.

Capacitação das equipes

Entre os dias 23 e 25 de outubro, será realizado no auditório do Instituto de Geografia, História e Documentação (IGHD) da UFMT, em Cuiabá, o curso para capacitação das equipes que irão atuar na aplicação do questionário, além da participação de  profissionais, agricultores do Vale do Mangaval e do Vale do Rio Cuiabá, integrantes do Movimento Sindical dos Trabalhadores Rurais e a comunidade acadêmica. Todos farão parte da rede de apoio que dará sustentação às ações de regularização ambiental na agricultura familiar.

Leia mais:  Novo comandante quer reforçar ações de fiscalização e da Operação Lei Seca

O ‘Vale do Mangaval’ foi definido como piloto para a execução do projeto, que avaliará a aplicação de uma nova metodologia voltada à regularização ambiental. A partir dos resultados alcançados no projeto, será definida a possibilidade do Radis ser estendido para o atendimento dos demais beneficiários do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF), em Mato Grosso. O programa é desenvolvido pelo Governo Federal para a oferta de crédito específico à aquisição de imóvel rural e instalação de infraestrutura básica.

Hoje, boa parte das famílias está impedida de acessar novos créditos rurais devido às irregularidades ocorridas na consolidação dos projetos de crédito fundiário. As irregularidades vão desde a inconsistência na ocupação das propriedades até a falta de orientação para quitação dos valores financiados. Além das correções necessárias, o diagnóstico também permitirá a identificação dos modelos de exploração sustentável mais promissores para aquele grupo de produtores, isso segundo o arranjo produtivo local e regional onde estão inseridos.

Fonte: GOV MT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana