conecte-se conosco

Política MT

Cadastro Consciente” ajuda a aumentar número de doadores de medula óssea em MT

Publicado

CONSCIENTIZAÇÃO

O Estado deu um passo importante com a Lei, que nasceu de um projeto de Lei do deputado Ondanir Bortolini.

Todos os dias novos casos de doenças que comprometem a medula óssea, responsável pela produção de células sanguíneas, são diagnosticados. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca), cerca de 80 doenças diferentes estão relacionadas ao sangue e podem ser tratadas com o transplante de medula óssea. “Mas o que a população precisa compreender, é que na maioria dos casos os doadores não estão no circulo familiar, então, o caminho é esperar que um doador compatível seja localizado”, alertou a bióloga Adriana Penha.

Em Mato Grosso a ‘Semana Estadual da Importância da Conscientização da Doação de Medula Óssea’, sancionada por meio da Lei 9.807/2012, de autoria do deputado estadual Ondanir Bortolini (PSD), Nininho, tem despertado a população para o esclarecimento acerca do cadastro voluntário consciente.

A campanha realizada há cinco anos no Estado, com o respaldo do MT-Hemocentro e do Inca, tem alcançado a proposta da Lei. “Hoje as pessoas estão mais esclarecidas, e o que nos deixa contente é que a comoção não é mais o motivo do cadastro e sim a consciência de ser a possibilidade de cura para alguém”, ressaltou o deputado Nininho.

Leia mais:  Max Russi cita diminuição na geração de empregos e propõe trabalho minucioso em CPI da Renúncia e Sonegação

Para a diretora geral do Hemocentro em Mato Grosso, Gian Carla Zanela, a lei da conscientização é uma parceria que deu certo.

“Todos os anos temos obtido sucesso e temos colhido os frutos, estamos aumentando cada dia mais o número de pessoas cadastradas para doação de medula óssea, e para nós, o apoio que o deputado Nininho e a Casa de Leis têm dispensado é muito importante”, explicou a diretora.

Conforme os números fornecidos pelo Hemocentro, em 2015 o número de cadastros em Mato Grosso era 51.441, atualmente são 61.741, ou seja, pouco mais de 20%. O farmacêutico Júlio Cesar, 30, doador voluntário desde 2007, contou que se cadastrou porque começou a ver a importância de ser um doador. Júlio já fez a doação e agora se prepara para a segunda doação de medula óssea.

“Me cadastrei quando eu estava na faculdade, na época eu morava em Joaçaba (SC), mas quando fui chamado para fazer a minha primeira doação eu já estava em Cuiabá. Uma coisa importante é manter o cadastro atualizado. Não consigo explicar a felicidade que senti, pois não conheço a pessoa, esse encontro leva um tempo, e para minha surpresa fui chamado para fazer o procedimento pela segunda vez”, contou Júlio César.

Leia mais:  Programa Por Dentro do Parlamento recebe alunos da Escola Estadual Antonio Gattiboni

Campanha – No dia 28 de maio, às 8 horas, acontece a abertura da Semana Estadual da Importância da Conscientização da Doação de Medula Óssea. Conforme a Lei nº 9.807/12, o evento é realizado todos os anos na última semana do mês de maio. A programação será no auditório Milton Figueiredo, na Assembleia Legislativa de Mato Grosso com o tema “III Encontro de Conscientização da Doação de Medula Óssea”.

Do núcleo de palestras estão confirmados: Dr. Luis Fernando da Silva Bouzas (RJ,) idealizador do Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) no Brasil, com a conferência “Transplante de medula óssea, indicações e seleção de doadores”; Dr. Luiz Guilherme Darrigo Junior, de Ribeirão Preto (SP), especialista em transplante de medula óssea pediátrico, com a conferência “Avanços e Desafios no Transplante de Medula Óssea Pediátrico”, e a Drª Danielli Cristina Muniz de Oliveira, responsável pelo Inca-RJ, com o tema “Redome 50 anos, você também pode contar esta história”.

No link para as inscrições https://forms.gle/qzKodDTL9ATWpQFH7, os interessados também podem fazer as inscrições dos trabalhos, o número de vagas é limitado, e será fornecido certificado de horas pela Escola de Saúde Pública de Mato Grosso aos participantes.

Comentários Facebook
publicidade

Política MT

Assembleia Social participa de ação voltada para crianças e adolescentes aptas à adoção

Publicado

Foto: KAREN MALAGOLI / ALMT

Uma manhã festiva, voltada para crianças e adolescentes que aguardam reinserção familiar ou um novo lar. Assim poderia ser resumida a parceria firmada entre a Assembleia Social  e o Sicoob União (MT/MS) em prol do Dia de Cooperar (Dia C), organizado pela cooperativa de crédito, e concretizada no último sábado (17). O foco: atender a duas unidades da Casa da Criança Cuiabana, uma que atende a bebês e outra, a meninas adolescentes.

A campanha, promovida pelo Sicoob União, consistia em arrecadar leite em pó, fraldas – especialmente para a Casa da Criança Cuiabana I, que acolhe bebês e primeira infância – e itens de higiene bucal – distribuídos também para a segunda casa atendida – o projeto Nosso Lar, que abriga meninas de 12 a 18 anos. 

A parceria com a Assembleia Social incluiu alimentos não perecíveis e acolhimento na casa onde foram entregues os mantimentos e onde foi promovida a confraternização – o projeto Nosso Lar, no bairro Boa Esperança, em Cuiabá.  O evento contou com a presença de 13 das 15 meninas que lá convivem e outras quatro crianças da outra unidade, ambas geridas pela Ong Associação Cultural Cena Onze. O Sicoob proporcionou um café da manhã e distribuiu picolés e a Assembleia Social ofereceu Oficina de Chaveiros Artesanais e maquiagem às garotas vaidosas.

Leia mais:  Em sessão solene Vereadores fazem homenagem alusiva aos 10 anos do Instituto Federal de Mato Grosso em Pontes e Lacerda

A Ana Paula*, uma das adolescentes do lar, ajudou a servidora da equipe da Assembleia Social, Daniela Lélia Bomtempo, na valorização da beleza externa das meninas. Pegou pincéis, batons e outros produtos e também maquiou as colegas. A adolescente, com quase 17 anos, disse que sonha em ser repórter e contou de seus sonhos para a fase adulta – quando não mais terá a estrutura da casa-lar.

Infelizmente, a garota não tem esperança de ser acolhida por uma nova família, já que percebeu, na prática, que são raras as adoções tardias. Mesmo assim, constrói o futuro: é aluna do Ensino Médio de manhã, estagiária em uma empresa pública à tarde e faz teatro aos finais de semana. “O teatro me ajuda na escola, no trabalho, para mim é como uma faculdade, porque a gente cresce muito com a convivência com tantas formas diferentes de pensar”.

O vice-presidente do Sicoob União MT/MS, Alexandre Bustamante, destacou que “muito mais que muito mais que a entrega de bens materiais, [o que importa] é a presença, o abraço, o carinho…”. O diretor executivo da cooperativa, José Augusto Indalécio, ressaltou que “todo dia é Dia de Cooperar” e enalteceu o empenho de todos os envolvidos na ação em Cuiabá e Várzea Grande.

Leia mais:  Comissão de mototaxistas de Rondonópolis discute projeto de isenção de impostos para motos

Foram arrecadadas pela cooperativa 322 latas de leite em pó e 260 pacotes de fraldas descartáveis de tamanhos variados, além de escovas de dente e tubos de creme dental. A Assembleia Social repassou 100 quilos de alimentos não perecíveis recebidos como ingresso ao Teatro do Cerrado Zulmira Canavarros, além do atendimento de membros da equipe e parceiros.

*Sobrenome omitido para proteger a identidade da entrevistada

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Política MT

Projeto de lei  quer obrigar bancos a irem até o beneficiário para realizar prova de vida

Publicado

Foto: Ronaldo Mazza

Todos os beneficiários do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), uma vez ao ano, devem comparecer a rede bancária para comprovar sua existência e continuar recebendo o pagamento da pensão ou aposentadoria. Caso contrário o benefício é bloqueado.

Porém, muitos não conseguem ir pela idade, saúde debilitada, ou por mobilidade física reduzida.

Em julho deste ano foi publicado no site do G1, do Paraná, a história de um idoso de 90 anos residente na zona rural, que por estar sem condições de andar, teve de ser carregado no colo pelo filho até o banco para realizar a “prova de vida” e  ter o pagamento da aposentadoria desbloqueado. 

Comovido com esse fato, o deputado estadual Faissal Calil (PV) apresentou na Assembleia  Legislativa de Mato Grosso, neste mês, o projeto de lei que obriga as instituições bancárias a destinarem colaboradores para comparecerem até o local onde se encontra o idoso, mas para isso os familiares ou responsável devem apresentar o atestado médico ao banco para comprovar a impossibilidade de locomoção da pessoa que precisa realizar a averiguação.

Leia mais:  Atendimentos do 1º semestre de 2019 do Espaço Cidadania supera o ano inteiro de 2018

De acordo com o parlamentar, o objetivo da proposta é ampliar a perspectiva de proteção do idoso ao acesso aos seus direitos mais básicos.

Fonte: ALMT
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana