conecte-se conosco

Política Nacional

Advogados de Lula entram com pedido de soltura

Publicado

source
Ex-presidente Lula arrow-options
Theo Marques / FramePhoto / Agência O Globo – 15.8.19

Ex-presidente Lula

A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu a soltura do petista à Justiça Federal nesta sexta-feira (8), devido a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que barrou prisões após a segunda instância na noite desta quinta. 

Os advogados Cristiano Zanin Martins e Valeska T. Martins se reuniram com Lula na superintendência da PF nesta sexta e, logo depois, levaramo pedido à Justiça. A defesa diz ainda que a decisão do STF reforça que o ex-presidente está “há injustamente e de forma incompatível com a lei e com a Constituição”. 

Leia também: Toffoli diz que libertação não é automática e que Congresso pode mudar regra

“Levaremos ao juízo da execução um pedido para que haja sua imediata soltura com base no resultado desse julgamento do STF, além de reiterarmos o pedido para que a Suprema Corte julgue os habeas corpus que objetivam a declaração da nulidade de todo o processo que o levou à prisão em virtude da suspeição do ex-juiz Sergio Moro e dos procuradores da Lava Jato, dentre inúmeras outras ilegalidades”, diz a nota. 

Leia mais:  Bolsonaro diz que ajuda oferecida pelo G7 para combater queimadas é “esmola”

Os advogados argumentam ainda que Lula foi vítima de “lawfare”, o uso estratégico do direito para “fins de perseguição política”. 

primeiro ato que o ex-presidente planeja fazer ao ser libertado será em Curitiba, em frente à Polícia Federal. O petista quer cumprimentar e prestar uma homenagem aos simpatizantes que ficaram em vigília no local durante um ano e sete meses. A expectativa é que também ocorra um comício em São Paulo ou São Bernardo do Campo, em seguida.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
publicidade

Política Nacional

Deputados do PSL pedem prisão preventiva de Lula a Augusto Aras

Publicado

source
Sanderson, Zambelli e Aras arrow-options
Divulgação

Deputados Sanderson (PSL-RS) e Carla Zambelli (PSL-SP) com o pedido de prisão preventiva de Lula em mãos, entregando a Augusto Aras.

Os deputados Carla Zambelli (PSL-SP) e Sanderson (PSL-RS) deram entrada no pedido de prisão preventiva contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva . O documento foi entregue nas mãos do procurador-geral da República, Augusto Aras , nesta segunda-feira (11). Antes dos deputados, o senador Major Olímpio também deu entrada na mesma solicitação. 

O requerimento de Zambelli e Sanderson solicitam a instauração de um inquérito policial por afirmarem que Lula incita “violência com o intuito de promover desagregação, confusão e balbúrdia”. 

Leia mais: Bolsonaro ameaça usar Lei de Segurança Nacional para prender Lula de novo

A declaração do petista após sua soltura em um discurso realizado no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo do Campo gerou a inquietação dos parlamentares. Na sua fala, Lula afirmou: “a gente tem que seguir o exemplo do povo do Chile, do povo da Bolívia, a gente tem que resistir”. 

Leia mais:  “Lógica eleitoreira do PDT prevaleceu”, diz Tabata Amaral sobre Previdência

Para os deputados, o ex-presidente Lula tem como intenção atacar e não apenas se defender. A mesma alegação foi feita pelo protocolo do Major Olimpio (PSL-SP), que afirmou em sua conta oficial do Twitter que é inaceitável que Lula “incite a violência e a desordem”.

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Política Nacional

Bolsonaro ameaça usar Lei de Segurança Nacional para prender Lula de novo

Publicado

source
Bolsonaro arrow-options
Marcos Corrêa/PR – 15.7.19

Presidente Jair Bolsonaro reclamou dos atuais discursos do ex-presidente Lula e ameaçou usar lei para detê-lo.

O pronunciamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que disse aos militantes para “seguir o exemplo do povo do Chile e atacar” incomodou Jair Bolsonaro . O atual presidente afirmou que, caso Lula tente subverter a ordem constitucional, será enquadrado na Lei de Segurança Nacional (LSN) para voltar à prisão. 

“A Lei de Segurança Nacional está aí para ser usada. Alguns acham que os pronunciamentos, as falas desse elemento [ Lula ], que por ora está solto, infringem a lei. Agora, nós acionaremos a Justiça quando tivermos mais do que certeza de que ele está nesse discurso para atingir os seus objetivos”, disse Bolsonaro em entrevista ao Antagonista. 

Leia mais: Bolsonaro oficializa saída do PSL e anuncia nome do partido que irá criar

Bolsonaro analisou o cenário internacional e fez comparativos com a Argentina, alegando que “não houve nenhum badernaço, porque já era uma tendência a turma da Cristina voltar ao poder, como voltou”. Por esse motivo, não seria admitida a reprodução dos protestos do Chile no Brasil para manter a estabilidade nacional. 

Leia mais:  Em suposta agenda, Ricardo Salles se encontrará com produtoras de agrotóxicos

“Agora tem que se preparar porque, na América do Sul, o Brasil é a cereja do bolo. Se nós aqui entrarmos em convulsão, complica a situação”, complementou Bolsonaro

Leia também: ‘Bolsominions fazem terrorismo na internet’, diz Witzel

O filho do presidente, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), disse em entrevista que se no Brasil ocorrer o que acontece no Chile, é possível implantar um novo Ato Institucional de número 5, o  mais rígido em privação de autonomia e liberdade de expressão implementado durante a ditadura militar no país.

Uma série de políticos e instituições recriminaram a fala do deputado, incluindo o próprio Jair Bolsonaro. ‘Quem quer que fale de AI-5 está sonhando’, disse o presidente

Fonte: IG Política
Comentários Facebook
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana