conecte-se conosco

Entretenimento

Abner pensa em Sara e sofre por amor em “Órfãos da Terra”

Publicado

O amor está no ar no capítulo desta terça-feira (14) de “Órfãos da Terra”. No entanto, o clima não está tão favorável assim, pelo menos para Abner (Marcelo Médici).

Leia também: Dalila comunica Paul sobre seu plano de vingança em “Órfãos da Terra”


Sara e Abner rindo, brindando com uma taça de vinho
Reprodução/TV Globo

Abner (Marcelo Médici) e Sara (Verônica Debom)


Tudo isso porque o rapaz percebeu que está realmente apaixonado por Sara (Verônica Debom) e vai sofrer de amor pela moça, que ainda é apaixonada por Ali (Mouhamed Harfouch), o dono da casa de chás de “ Órfãos da Terra ”.

Leia também: Mamede apresenta Latifa para Ali em “Órfãos da Terra”

Vale lembrar que Sara surpreendeu Abner com um beijão, tudo isso para tentar causar algum ciúme no ex. Com isso, o rapaz de “ Órfãos da Terra ” finalmente entendeu que o que sente pela judia é amor de verdade.

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
Leia mais:  Jaden Smith abre restaurante vegano que dá comida de graça para sem-tetos
publicidade

Entretenimento

Organizadores de mostra veem censura em exclusão de filmes anti-Bolsonaro

Publicado

source

Após serem comunicados de que três filmes da Mostra do Filme Marginal seriam retirados da programação no Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF), no Rio de Janeiro, os organizadores do evento resolveram cancelar o evento na instituição. Ele será mantido no Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica.

Leia também: Bolsonaro critica “Bruna Surfistinha” e quer Ancine em Brasília

Cena do curta-metragem arrow-options
Reprodução/FestTaguá

Cena do curta-metragem “Mente Aberta”

Leia também: Após ataque de Bolsonaro, equipe de filme condena censura a produções LGBT

Conforme antecipado pela coluna de Ancelmo Gois, os três filmes censurados são “Mente aberta”, “Rebento” e “Nosso sagrado”. Nos dois primeiros, há referências ao presidente Jair Bolsonaro.

“Mente aberta”, de Getúlio Ribeiro, cineasta de Nova Iguaçu, trata de “um sujeito que se autodenomina um ‘cidadão de bem’, tem uma relação opressora com a família e tenta nos convencer de que é a vitima”.

Nele, Getúlio usa três declarações do Jair Bolsonaro  , não editadas, e de diferente momentos da carreira dele. “Não existe homofobia no Brasil”, “Nenhum pai gostaria de chegar em casa e ver seu filho brincando de boneca” e “eu sou a favor da tortura, você sabe disso. E o povo brasileiro também”.

Leia mais:  Trilha sonora de “Game of Thrones” é atração à parte na série

O filme foi aprovado na mostra, mas na terça-feira (20) o diretor foi convocado para uma reunião no CCJF, em que a exclusão foi comunicada.

Leia também: Cineasta critica Bolsonaro e diz que sem Ancine não haverá filmes nacionais

“Após o envio da programação, a instituição nos comunicou sobre a impossibilidade de exibição de três filmes selecionados. Não concordamos com o entendimento da instituição e nos posicionamos contrário a postura da mesma”, explicaram os organizadores da mostra em comunicado, acrescentando que viram a decisão como censura.

“O filme já passou em outros festivais e isso nunca aconteceu comigo. Vi coisa muito mais radical que não foi censurada. É um filme de oito minutos, que passaria, a galera ia ver e ficaria por isso”. Os diretores dos outros curtas preferiram não se manifestar.

Procurado, o Centro Cultural da Justiça Federal respondeu com um comunicado em que diz que “a restrição das temáticas propostas ao CCJF dá-se estritamente pelo dever constitucional de imparcialidade a que está submetido o Poder Judiciário Federal”.

Leia mais:  Gravidez de Dalila causa mais problemas em “Órfãos da Terra”

O comunicado diz ainda: “O Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) tem, dentre seus critérios estabelecidos para sediar eventos culturais e artísticos, o de não promover produções de cunho corporativo, religioso ou político-partidário, independentemente de que pessoa, instituição ou conceito ideológico esteja sendo defendido ou criticado.”

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
Continue lendo

Entretenimento

Mentor da Vaza Jato, Glenn Greenwald recebe prêmio de jornalismo no Brasil

Publicado

source

Foi anunciada na última quarta-feira (21) que Glenn Greenwald, jornalista do The Intercept Brasil , reberá o Prêmio Especial Vladimir Herzog neste ano. A honraria chega após o jornalista divulgar diálogos entre os procuradores da Lava Jato com Sergio Moro, atual ministro da Justiça que à época era o Juiz responsável pela maior investigação contra corrupção do País.

Leia também: “Se tivesse poder, botaria o Glenn Greenwald na cadeia”, diz Jorge Kajuru

Glenn Greenwald arrow-options
Divulgação

Glenn Greenwald


Leia também: Como previsto, palestra de Glenn Greenwald na Flip é afetada por protesto

Apelidada de Vaza Jato por internautas, os diálogos de Glenn Greenwald resultaram em uma alta repercussão na imprensa e na abertura de um inquérito para contestar a veracidade das mensagens de Sergio Moro que, se dadas como verdadeiras, mostrariam que o Juiz responsável pela Lava Jato estava agindo de maneira irregular. Conduta essa antiética.

Leia também: “Não é jornalista, é militante”, diz Bolsonaro sobre Glenn Greenwald

Além de Glenn Grennwald também será homenageada no Prêmio Vladimir Herzog de jornalismo, que acontece no dia 24 de outubro, Patrícia Campos Mello, da Folha .

Fonte: IG Gente
Comentários Facebook
Leia mais:  Jaden Smith abre restaurante vegano que dá comida de graça para sem-tetos
Continue lendo

Envie sua denúncia

Clique no botão abaixo e envie sua denuncia para nossa equipe de redação
Denuncie

Política MT

Policial

Mato Grosso

Política Nacional

Entretenimento

Esportes

Mais Lidas da Semana